clínica belem - Belem Saúde
Tag

clínica belem - Belem Saúde

exame hepatites

Julho Amarelo: O mês de luta e prevenção das hepatites virais

By | blog | No Comments

Conforme lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada em 11 de janeiro no Diário Oficial da União, a partir deste ano, a Campanha Julho Amarelo que combate as hepatites virais é intitulada e deve ser realizada anualmente em todo o Brasil.

Saiba mais sobre as hepatites virais

A hepatite viral é uma inflamação silenciosa e que ocorre no fígado, sendo uma das principais causas de câncer e cirrose na região. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, três milhões de brasileiros estão infectados pela hepatite C, porém não sabem se possuem o vírus.

Visto que grande parte não tem conhecimento sobre a existência da doença, o recomendado é que as pessoas frequentem com regularidade o posto mais próximo e faça o exame gratuitamente para buscar tratamento adequado o quanto antes.

Origem e diagnóstico da doença

Como dito acima, as hepatites virais podem ser causadas na maioria das vezes por vírus, mas também por doenças autoimunes, genéticas, metabólicas e até mesmo uso de medicamentos, álcool, entre outras drogas. Embora nem sempre apresente sintomas, os mais comuns são:

  • Febre;
  • Enjoo;
  • Vômitos;
  • Mal-estar;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Dor abdominal;
  • Pele e olhos amarelados.

Principais tipos de hepatites

As hepatites A, B e C são as mais comuns no Brasil, enquanto a D e E são mais frequentes em países como Ásia e África. Entenda a diferença entre cada uma delas:

  • Hepatite A: relacionada às condições de higiene e saneamento básico, é a que predomina a maior número dos casos e há vacina para combatê-la. Contudo, trata-se de uma infecção leve e que cura sozinha;
  • Hepatite B: depois da hepatite A, é a que mais atinge os brasileiros. A forma ideal para preveni-la é por meio de vacina e uso de preservativo, já que pode ser transmitida por contato sanguíneo e ato sexual;
  • Hepatite C: epidemia cinco vezes maior que a AIDS/HIV e principal causa de transplantes de fígado. Pode ser transmitida pelo contato com sangue e não há vacina. É um estágio avançado que pode se agravar e levar a cirrose, câncer de fígado e até a morte;
  • Hepatite D: ocorre apenas em pacientes infectados pela hepatite B (sendo assim, a vacina contra hepatite B é essencial para se proteger da hepatite D);
  • Hepatite E: transmitida por via digestiva (fecal e oral), não tem o perigo de se tornar crônica, porém as pessoas mais afetadas são mulheres grávidas, que podem apresentar formas mais graves.

Julho amarelo e seu objetivo

Portanto, o julho amarelo tem como propósito incentivar unidades básicas de saúde a intensificar informações relevantes sobre a luta, prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das infecções causadas pelas hepatites virais.

E você, já fez o exame para saber se está tudo em dia? Cuide da sua saúde, cuide de você. Previna a doença e caso seja um portador, não deixe de procurar tratamento.

Aproveite e leia também: Junho vermelho: campanha de incentivo a doação de sangue

 

 

 

 

 

 

 

 

 

movimento abril verde

Conheça o Movimento Abril Verde

By | blog | No Comments

Em nosso artigo anterior falamos sobre o Abril Azul, enfatizando a importância de entender e debater assuntos como o autismo.  Hoje, é dia de falar sobre o Movimento Abril Verde. Quer saber mais? Veja o que a Belém Saúde preparou para você.

Por que Abril Verde?

A cor verde é popular em meio aos cursos da área de saúde. Por essa razão, ela foi escolhida para representar o mês de abril e simbolizar a segurança do trabalho. Você deve estar se perguntando: “mas por que abril?”. Bom, no mês de abril é celebrado o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho, especificamente no dia 28/03 (data em que 78 trabalhadores foram vítimas de uma explosão na mina da cidade de Farmington, estado de Virgínia, nos Estados Unidos).

Qual o propósito do Abril Verde?

O objetivo é dar visibilidade ao tema, mostrando o quanto investir em procedimentos de saúde e segurança no trabalho podem ser eficazes na redução do número de acidentes. Dessa forma, incentivar cada vez mais empresas a adotarem métodos seguros e assim, evitar que o pior aconteça com o funcionário.

O que é feito durante o Abril Verde?

O Movimento Abril Verde surgiu por meio de uma iniciativa do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Estado do Paraná. Ele conta com palestras, encontros, seminários, mobilizações sociais, debates, sinalizações com o símbolo do laço verde, entre outros aspectos esverdeados que façam referência à saúde e segurança do trabalhador.

Importância da segurança do trabalho

A segurança no trabalho dentro das empresas é essencial não só para o colaborador, como também para o sucesso de seu negócio. Vale ressaltar que um funcionário saudável, é um funcionário produtivo, que certamente atuará com mais eficiência no cargo que exerce. Além disso, o contratante estará se prevenindo de faltas inesperadas ou até mesmo afastamento por acidentes ocorridos dentro do ambiente de trabalho. Inclusive, é importante lembrar que estes, junto ao estresse, estão entre os motivos mais comuns de afastamento.

Saúde é tudo e deve vir sempre em primeiro lugar, principalmente no local onde o trabalhador passa sua maior parte do tempo. Agora que você já sabe mais sobre o Abril Verde, que tal compartilhar em suas redes sociais? A troca de informação é primordial para contribuir para o envolvimento da sociedade em questões que merecem atenção.

 

 

 

 

conheça o fevereiro roxo

Fevereiro roxo: entenda sobre essa conscientização

By | blog | No Comments

No artigo anterior falamos a respeito do Janeiro Branco, onde muitas pessoas ficaram surpresas ao saber que além do Outubro Rosa e o Novembro Azul, várias outras representações surgiram para conscientização de doenças. Contudo, a grande maioria ainda não é tão falada pela mídia. Bom, esse é o momento de apresentá-lo ao Fevereiro Roxo. Quer saber mais a respeito dessa importante campanha? Então vamos lá.

O que o fevereiro roxo representa?

Criado em 2014, na cidade de Uberlândia (Minas Gerais), o Fevereiro Roxo é o mês de falar a respeito do Lúpus, da Fibromialgia e do Alzheimer. Trata-se de doenças que embora apresentem condições diferentes entre si, são graves, incuráveis e poderiam ser tratadas com mais facilidade se descobertas em um estágio inicial.

Se identificadas no início, as chances de controlar ou retardar os sintomas de maneira eficaz, certamente são maiores. Vale ressaltar que ambas as doenças possuem sinais inicias relativamente inofensivos. Portanto, o Fevereiro Roxo tem o intuito de incentivar o diagnóstico precoce a partir do lema: “se não houver cura, que ao menos haja conforto”.

Em que consiste o Lúpus?

Talvez você já tenha ouvido falar sobre o Lúpus, que foi um assunto recorrente nos meios de comunicação quando duas artistas internacionais (Lady Gaga e Selena Gomez) revelaram sofrer com a doença. Inclusive, a primeira mostrou alguns aspectos do Lúpus em seu documentário “Five Foot Two”.

O Lúpus é autoimune, porém, pouco se sabe sua origem, mas ela pode causar dores extremamente fortes à vítima. O que faz com que o tratamento adequado para esse tipo de doença seja indispensável para amenizar o sofrimento e aumentar a qualidade de vida.

Já o Lúpus Discóide é um pouco menos devastador, visto que afeta somente a pele. Essa versão causa vermelhidões em locais como a nuca, o rosto e o couro cabeludo.

O que é Fibromialgia?

A Fibromialgia é uma síndrome geralmente originada de fatores genéticos. Seus portadores são em maioria mulheres entre 30 e 60 anos de idade, mas não anula a chance desse inconveniente surgir durante a infância ou adolescência. Além disso, entre seus principais sintomas estão: dores no corpo, formigamento nos pés e nas mãos, fadiga, problemas com o sono e dificuldades cognitivas como perda de memória, por exemplo.

Infelizmente, a fibromialgia é caracterizada por causar cores constantes e que duram cerca de três meses a cada vez que resolve se manifestar. Por fim, é importante destacar que em casos extremos, a fibromialgia pode levar a quadros de depressão.

Quais os principais sintomas do Alzheimer?

Quem tem um familiar idoso deve ficar atento aos sintomas do Alzheimer, pois como todos sabem, ele está ligado à idade avançada e pode aparecer a qualquer momento, gerando problemas na fala e na memória. A pessoa com Alzheimer consegue se lembrar de fatos que aconteceram há muitos anos, mas esquece de coisas que acabaram de acontecer, misturando fatos do passado com o presente.

É muito triste, pois podem perder a consciência de quem é seus filhos, netos, entre outras pessoas próximas. Dessa forma, a capacidade de convívio social e aprendizado ficam seriamente afetados. Podemos associar o paciente como um bebê, que depende de ajuda para realizar as tarefas do dia-a-dia.

Mesmo que o Alzheimer não tenha cura, se identificado logo no início, algumas medidas podem ser tomadas para retardar efeitos mais graves. Por exemplo: tratamentos terapêuticos e medicamentos controlados.

Gostou de saber sobre o Fevereiro Roxo? Fique ligado no próximo post da Belém Saúde, onde falaremos sobre o Fevereiro Laranja – conscientização do tipo mais comum de câncer: a leucemia. Um recado muito importante que gostaríamos de dar a você leitor é: entender as questões relacionadas a doenças que não tem cura é tão importante para a sua saúde, quanto para conscientizar quem você conhece. Ninguém está imune a passar por esses obstáculos, amanhã pode ser você ou alguém bem próximo. E que estejamos juntos para vencer essa batalha!

medicina do trabalho para minha empresa

Medicina do trabalho: por que ela é fundamental para sua empresa?

By | blog | No Comments

A medicina do trabalho é essencial para qualquer empresa, independente do porte ou segmento, pois é uma grande aliada de gestores que priorizam a própria segurança e a de terceiros. Pode ser que ao ouvir esse termo, algumas dúvidas venham à tona.

Embora por um lado, inúmeras empresas já enxerguem a medicina do trabalho como parceira, muitos ainda não dão a devida atenção para esse assunto. Pensando nisso, criamos esse artigo para conscientizar os empreendedores sobre os motivos para aderir ao serviço.

Quer saber mais a respeito do assunto? Não se preocupe, continue com a gente que te contaremos tudo. Aqui, separamos as principais questões abordadas pelo público.

A Medicina do Trabalho é obrigatória?

Antes de tudo, é importante destacar que a medicina do trabalho é obrigatória para qualquer pessoa que esteja registrada na carteira de trabalho, pois faz parte das normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego. É a NR que irá ditar o funcionamento da medicina do trabalho na sua empresa. Elas são muitas, mas variam de acordo com o segmento do local. Os exames médicos são obrigatórios e regulamentados pela Portaria nº 3214, desde 8 de junho de 1978.

Afinal, do que se trata a Medicina do Trabalho?

A medicina do trabalho é uma especialidade médica responsável por garantir a saúde e bem-estar dos colaboradores em suas atividades, garantindo melhor qualidade de vida, por meio de medidas preventivas para evitar doenças e acidentes no ambiente profissional.  Entre elas, doenças ocupacionais e o controle de riscos ambientais.

Quais são os exames realizados pela Medicina do Trabalho?

Os mais conhecidos são os admissionais (na contratação de um funcionário) e demissionais (no desligamento do funcionário da empresa). Os dois servem para analisar se houve alguma alteração na saúde do trabalhador durante o tempo que atuou no local.

O que acontece com quem descumprir a lei?

Vale ressaltar que as penas são sérias. A empresa que não cumprir com as normas regulamentadores será multada pelo Ministério do Trabalho, podendo encadear ações de indenização na Justiça do Trabalho ou até mesmo responder criminalmente por doenças ocupacionais, crime que leva à prisão. E não é só isso, em meio a esses danos, você corre o risco de ter o nome da sua empresa sujo e mal visto.

Quem realiza a Medicina do Trabalho?           

O médico do trabalho. O profissional especializado pode atuar em diversas áreas. Redes públicas, órgãos de normalização e fiscalização, previdência social, consultoria privada, pesquisas investigativas de campo relacionadas a saúde e trabalho, assessoria de sindicatos, na formação de profissionais, perito judicial e em empresas como empregado de serviços voltados à Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho.

O que é preciso para atuar no ramo?

Para provar que está apto para exercer essa função, o médico deve ter um certificado de residência médica reconhecido pela Comissão Nacional da Residência Médica do Ministério da Educação e que comprove ser experiente na área. Além disso, ele deve ter o mínimo de conhecimento das atividades realizadas pelos funcionários, para assim planejar ações efetivas.

Como saber se o médico do Trabalho é qualificado?

Um profissional qualificado se preocupa em atuar em procedimentos básicos como realizar avaliações clínicas e laboratoriais, solicitar exames exigidos pela legislação, reconhecer sintomas e fontes de exposição de cargos distintos, conhecer ferramentas e métodos para solucionar condutas adequadas de acordo com as necessidades individuais, realizar atendimento médico de urgência, saber diagnosticar doenças e indicar o melhor tratamento, alertar potenciais tóxicos, indicar meios de lidar com situações que podem colocar a vida do trabalhador em risco, extrair informações sobre mortalidade, morbidade, etc.

De quanto em quanto tempo os exames devem ser realizados?

Os exames periódicos podem ser realizados anualmente, semestralmente ou de dois em dois anos.

Anuais

Os que são feitos uma vez por ano visam avaliar pessoas com menos de 18 ou mais de 45 anos, checando a condição de saúde de funcionários com doenças crônicas e que estão expostos a fatores de risco, adquiriram alguma doença ocupacional no decorrer do tempo. Caso tenham adquirido, precisam passar constantemente por exames.

Semestrais

Os semestrais tem a finalidade de acompanhar o estado de saúde do trabalhador, por meio de monitoramentos biológicos.

Bienais

Exames bienais são voltados para os funcionários com facha etária entre 18 e 45 anos e que atuam em funções que não apresentam riscos. Por esse motivo, são realizados em um espaço maior de tempo.

Quais os benefícios da Medicina do Trabalho?

Ela oferece benefícios para ambas as partes. Uma vez que o empreendedor tem colaboradores saudáveis em sua empresa, consequentemente tem colaboradores mais produtivos. Além disso, não arcar com essa despesa pode ser muito mais custoso para a empresa, que terá grandes chances de ter um funcionário afastado por problemas de saúde ou até mesmo responder  na justiça por não ter dado o suporte adequado ao trabalhador.

Como encontrar uma empresa qualificada para contratar os serviços da Medicina do Trabalho?

O ideal é procurar sem precisar sair do conforto de sua casa. E que tal fazer uma rápida pesquisa a plataforma mais influente da rede? Isso mesmo, o Google. Encontre sites que ofereçam informações relevantes e conteúdos de qualidades aos usuários. Lembre-se de se certificar o tempo de experiência que a empresa especializada tem no ramo. Opte por empresas que tenham anos no mercado e que estejam destacadas em meio a concorrência. Normalmente, elas oferecem outros serviços como engenharia, segurança e higiene ocupacional, desenvolvendo soluções para qualquer exigência trabalhista e previdenciária. Para realizar uma Medicina do Trabalho de credibilidade, é preciso de uma equipe de profissionais capacitados e empenhados em corresponder as expectativas do consumidor.

Portanto, agora que você já sabe a importância da Medicina do Trabalho para sua empresa e como encontrar uma empresa especializada e qualificada para a função, não pense duas vezes antes de contratar o serviço. A Medicina do Trabalho além de precaver problemas legais, é um ótimo investimento para quem busca sucesso em seus negócios.

Aproveite e leia também: Exames ocupacionais: saiba por que eles são essenciais para empresas

 

 

 

 

E-Social

By | notícias | One Comment

Entenda o e-Social

Obrigatório no país a partir de janeiro de 2018, o eSocial será a nova forma de prestação de informações do mundo do trabalho que entrará em vigor no Brasil e integrará a rotina de mais de 18 milhões de empregadores e 44 milhões de trabalhadores. O eSocial é um projeto conjunto do governo federal que integra  Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal.

A iniciativa permitirá que todas as empresas brasileiras possam realizar o cumprimento de suas obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias de forma unificada e organizada, reduzindo custos, processos e tempo gastos hoje pelas empresas com essas ações.

Na prática, o eSocial instituirá uma forma mais simples, barata e eficiente para que as empresas possam cumprir suas obrigações com o poder público e com seus próprios funcionários. Quando totalmente implementado, o eSocial representará a substituição de 15 prestações de informações ao governo – como GFIP, RAIS, CAGED e DIRF – por apenas uma.

Além disso, o eSocial também não introduzirá  nenhuma nova obrigação ao setor empresarial. As informações que serão encaminhadas ao programa já precisam ser registradas hoje pelas empresas em diferentes datas e meios, alguns deles ainda em papel.

Além dos avanços que traz ao setor produtivo – por meio da redução de burocracia e do ganho de produtividade – o eSocial também beneficiará diretamente a classe trabalhadora, uma vez que será capaz de assegurar de forma mais efetiva o acesso aos direitos trabalhistas e previdenciários.

A exemplo do módulo do eSocial voltado ao empregador doméstico, já em funcionamento desde de 2015, está sendo desenvolvida uma plataforma simplificada que também será direcionada a outras categorias de empregadores como as micro e pequenas empresas, MEIs – micro empreendedores individuais – e segurados especiais, por exemplo.

O Comitê Gestor do eSocial anunciou nesta quarta-feira (29) o cronograma de implantação do programa, que será implantado em cinco fases a partir do primeiro semestre de 2018. Neste primeiro momento, a medida é voltada para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais, que passam ter a utilização obrigatória do programa a partir de 8 de janeiro de 2018.

A implantação em cinco fases também será adotada para as demais empresas privadas do país, incluindo micros e pequenas empresas e MEIs que possuam empregados, cuja utilização obrigatória está prevista para 16 de julho do ano que vem. Já para os órgãos públicos, o eSocial torna-se obrigatório a partir de 14 de janeiro de 2019.

Conforme explicou o assessor especial para o eSocial, Altemir Linhares de Melo,  o envio de obrigações pelas empresas em etapas para o eSocial é uma resposta do governo às solicitações realizadas pelas empresas e confederações participantes do projeto com o objetivo de garantir segurança e eficiência para a entrada em operação do programa.

As empresas que descumprirem o envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitos a aplicação de penalidades e multa.

Confira abaixo o cronograma de implantação:

 

Etapa 1 – Empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões

Fase 1: Janeiro/18 – Apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador e tabelas

Fase 2: Março/18: Nesta fase, empresas passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Maio/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Julho/18: Substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e compensação cruzada

Fase 5: Janeiro/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador

 

Etapa 2 – Demais empresas privadas, incluindo Simples, MEIs e pessoas físicas (que possuam empregados)

Fase 1: Julho/18 – Apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador e tabelas

Fase 2: Set/18: Nesta fase, empresas passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Nov/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Janeiro/19: Substituição da GFIP (Guia de informações à Previdência Social) e compensação cruzada

Fase 5: Janeiro/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador

Etapa 3 – Entes Públicos

Fase 1: Janeiro/19 – Apenas informações relativas aos órgãos, ou seja, cadastros dos empregadores e tabelas

Fase 2: Março/19: Nesta fase, entes passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos servidores e seus vínculos com os órgãos (eventos não periódicos) Ex: admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Maio/19: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Julho/19: Substituição da GFIP (guia de informações à Previdência) e compensação cruzada

Fase 5: Julho/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador”

Fonte: http://portal.esocial.gov.br/

E-Social

By | notícias | No Comments

Entenda o e-Social

Obrigatório no país a partir de janeiro de 2018, o eSocial será a nova forma de prestação de informações do mundo do trabalho que entrará em vigor no Brasil e integrará a rotina de mais de 18 milhões de empregadores e 44 milhões de trabalhadores. O eSocial é um projeto conjunto do governo federal que integra  Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal.

A iniciativa permitirá que todas as empresas brasileiras possam realizar o cumprimento de suas obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias de forma unificada e organizada, reduzindo custos, processos e tempo gastos hoje pelas empresas com essas ações.

Na prática, o eSocial instituirá uma forma mais simples, barata e eficiente para que as empresas possam cumprir suas obrigações com o poder público e com seus próprios funcionários. Quando totalmente implementado, o eSocial representará a substituição de 15 prestações de informações ao governo – como GFIP, RAIS, CAGED e DIRF – por apenas uma.

Além disso, o eSocial também não introduzirá  nenhuma nova obrigação ao setor empresarial. As informações que serão encaminhadas ao programa já precisam ser registradas hoje pelas empresas em diferentes datas e meios, alguns deles ainda em papel.

Além dos avanços que traz ao setor produtivo – por meio da redução de burocracia e do ganho de produtividade – o eSocial também beneficiará diretamente a classe trabalhadora, uma vez que será capaz de assegurar de forma mais efetiva o acesso aos direitos trabalhistas e previdenciários.

A exemplo do módulo do eSocial voltado ao empregador doméstico, já em funcionamento desde de 2015, está sendo desenvolvida uma plataforma simplificada que também será direcionada a outras categorias de empregadores como as micro e pequenas empresas, MEIs – micro empreendedores individuais – e segurados especiais, por exemplo.

O Comitê Gestor do eSocial anunciou nesta quarta-feira (29) o cronograma de implantação do programa, que será implantado em cinco fases a partir do primeiro semestre de 2018. Neste primeiro momento, a medida é voltada para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais, que passam ter a utilização obrigatória do programa a partir de 8 de janeiro de 2018.

A implantação em cinco fases também será adotada para as demais empresas privadas do país, incluindo micros e pequenas empresas e MEIs que possuam empregados, cuja utilização obrigatória está prevista para 16 de julho do ano que vem. Já para os órgãos públicos, o eSocial torna-se obrigatório a partir de 14 de janeiro de 2019.

Conforme explicou o assessor especial para o eSocial, Altemir Linhares de Melo,  o envio de obrigações pelas empresas em etapas para o eSocial é uma resposta do governo às solicitações realizadas pelas empresas e confederações participantes do projeto com o objetivo de garantir segurança e eficiência para a entrada em operação do programa.

As empresas que descumprirem o envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitos a aplicação de penalidades e multa.

Confira abaixo o cronograma de implantação:

 

Etapa 1 – Empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões

Fase 1: Janeiro/18 – Apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador e tabelas

Fase 2: Março/18: Nesta fase, empresas passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Maio/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Julho/18: Substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e compensação cruzada

Fase 5: Janeiro/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador

 

Etapa 2 – Demais empresas privadas, incluindo Simples, MEIs e pessoas físicas (que possuam empregados)

Fase 1: Julho/18 – Apenas informações relativas às empresas, ou seja, cadastros do empregador e tabelas

Fase 2: Set/18: Nesta fase, empresas passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Nov/18: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Janeiro/19: Substituição da GFIP (Guia de informações à Previdência Social) e compensação cruzada

Fase 5: Janeiro/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador

Etapa 3 – Entes Públicos

Fase 1: Janeiro/19 – Apenas informações relativas aos órgãos, ou seja, cadastros dos empregadores e tabelas

Fase 2: Março/19: Nesta fase, entes passam a ser obrigadas a enviar informações relativas aos servidores e seus vínculos com os órgãos (eventos não periódicos) Ex: admissões, afastamentos e desligamentos

Fase 3: Maio/19: Torna-se obrigatório o envio das folhas de pagamento

Fase 4: Julho/19: Substituição da GFIP (guia de informações à Previdência) e compensação cruzada

Fase 5: Julho/19: Na última fase, deverão ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador”

Fonte: http://portal.esocial.gov.br/

Dezembro Vermelho

By | campanhas | No Comments

Dezembro Vermelho – Conscientização sobre a prevenção da AIDS

O Dezembro Vermelho é uma campanha mundial criada para conscientizar as pessoas na prevenção de infecção pelo HIV, o vírus da imunodeficiência humana, que pode levar a AIDS (síndrome da imunodeficiência adquirida).

O foco principal da campanha são os jovens, pois segundo dados, esse é o grupo mais exposto a DSTs. O HIV pode ser transmitido por relações sexuais desprotegidas, compartilhamento de seringas e durante a gestação e amamentação.

Por isso, é importante prevenir-se e realizar o teste caso tenha sido exposto a uma situação de risco. Além disso, a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), é um tratamento antirretroviral, indicado para pessoas em situações como: violência sexual, relação sexual desprotegida ou acidente ocupacional.

Para fazer efeito, a PEP deve ser iniciada logo após a exposição de risco e em até 72 horas. Esse tratamento pode ser encontrado em um serviço de saúde, e não deve ser utilizada como substituta a camisinha.

Durante todo o mês de dezembro, há programações por todo o país como palestras, distribuição de materiais de prevenção e informação, desde postos de saúde até escolas.

Lembre-se que a prevenção é simples, e é o jeito mais eficaz de evitar a doença.

Fonte: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv

Dezembro Laranja

By | campanhas | No Comments

Dezembro Laranja – Conscientização sobre o câncer de pele

No verão, as pessoas vão às praias e as piscinas, se expondo ao sol com mais frequência do que em qualquer outra época do ano. Mas será que a proteção solar é realizada adequadamente?

O Dezembro Laranja foi criado em 2014 pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB) para conscientizar as pessoas a como evitar o câncer de pele.

O câncer de pele pode aparecer como uma pinta, mancha ou até uma ferida que não cicatriza. Por isso, a regra ABCDE pode ajudá-lo a procurar ajuda o quanto antes.

A – Lesão assimétrica

B – Bordas irregulares

C – Alteração de cor

D – Diâmetro maior que 6 mm

E – Evolução ou modificação da lesão

A melhor forma de evitar a doença é através da prevenção. Observe sua exposição solar e utilize filtro de proteção diariamente, independente das mudanças climáticas.

Evite exposição solar das 9h às 16h, horário de maior incidência de radiação UVB. É importante reforçar que um dermatologista deverá ser consultado anualmente para realizar exames preventivos.

Fonte: http://www.controleosol.com.br/sobre-a-campanha/

Novembro Azul

By | campanhas | No Comments

Novembro Azul – Conscientização sobre o câncer de próstata

O “Novembro Azul” é uma campanha mundial para conscientizar os homens sobre a importância dos exames anuais a partir dos 50 anos, por esse ser o segundo tipo de câncer mais mortal entre os homens.

Em 2015, uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostrou que 51% dos homens nunca consultaram um urologista. O câncer de próstata não tem prevenção, mas o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura com o tratamento.

No seu início, a doença não apresenta sintomas. É importante a realização de exames de toque e de sangue periodicamente. A doença pode não ser detectada a partir do exame de sangue, sendo necessário complementar com o exame de toque.

Os sintomas, que só aparecem em casos avançados, são:

– Vontade de urinar com urgência

– Dificuldade para urinar

– Dor óssea

– Insuficiência renal

– Dores fortes no corpo

Participe do Novembro Azul conscientizando os homens a respeito da importância da realização de exames periódicos. O diagnóstico precoce é essencial para a cura.

As informações foram extraídas do site http://portaldaurologia.org.br/campanhas-publico/novembro-azul- 2015/.

Outubro Rosa

By | campanhas | No Comments

Outubro Rosa – Conscientização sobre o câncer de mama

O “Outubro Rosa” é um movimento mundial que tem como objetivo desmistificar conceitos em relação ao câncer de mama, divulgar a importância do diagnóstico precoce e mostrar a realidade atual da doença.

É recomendada a realização de uma mamografia de rastreamento a cada dois anos para mulheres de 50 a 69 anos. Esse exame ajuda a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas. Quando detectado em fase inicial, o câncer de mama tem mais chances de tratamento e de cura.

O câncer de mama tem diversas causas, sendo a idade um importante fator de risco, pois cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos. Além disso, outros fatores de risco são:

– Obesidade e sobrepeso após a menopausa

– Sedentarismo

– Consumo de bebida alcoólica

– Exposição frequente ao Raio X

– Primeira menstruação antes de 12 anos

– Não ter tido filhos

– Primeira gravidez após 30 anos

– Não ter amamentado

– Menopausa após os 55 anos

– Uso de contraceptivos hormonais

– Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos

– Histórico familiar de câncer de ovário

– Histórico familiar de câncer de mama

– Histórico familiar de câncer de mama em homens

– Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2

A mulher deve estar atenta e sempre realizar o autoexame, que pode ser feito no banho, durante a troca de roupa ou em qualquer situação cotidiana que se sentir confortável. Isso ajuda a observar alterações. Os principais sinais e sintomas são:

– Nódulo fixo, endurecido e geralmente indolor

– Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja

– Alterações no mamilo

– Pequenos nódulos nas axilas ou pescoço

– Saída espontânea de líquido dos mamilos

Caso note alguma alteração, é importante procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica. Há diversos tipos de câncer de mama, e o tratamento indicado para cada caso deve ser recomendado por um médico especialista.

O Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita do exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias.

Participe do Outubro Rosa espalhando a conscientização da prevenção e dos exames periódicos.

As informações foram extraídas do site http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/index.asp.