atenção pela vida - Belem Saúde
Tag

atenção pela vida - Belem Saúde

Agosto Lilás mês de combate à violência contra a mulher/relacionamento abusivo

Campanha Agosto Lilás e o relacionamento abusivo em pauta

By | blog | No Comments

Este ano a Lei Maria da Penha completa 13 anos e o Ministério Público Estadual (MPAL) promove a Campanha Agosto Lilás reunindo uma série de debates que buscam conscientizar a sociedade sobre a gravidade do relacionamento abusivo. Infelizmente, o número de vítimas que sofrem agressões físicas e psicológicas de seus parceiros não para de crescer. Para ter uma ideia, apenas no Brasil, 3 em cada 5 mulheres afirmam viver ou já ter vivido uma relação abusiva.

Brasil: um dos países mais violentos

Segundo dados do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o Brasil está em 5° lugar quando o assunto é violência doméstica contra mulheres. Em meio aos processos judiciais, há cerca de um milhão de casos, sendo dez mil de feminicídio. Sendo assim, é de extrema importância discutir a temática publicamente. Continue lendo o texto a seguir e veja alguns sinais que te ajudarão a identificar um relacionamento abusivo. Mas antes, vale ressaltar que qualquer um está sujeito a ser a “vítima” do relacionamento abusivo, porém o mais comum é entre homens e mulheres, onde a figura masculina assume o papel de agressor. Tudo dependerá da questão de poder que uma pessoa exerce sobre a outra.

Afinal, o que é um relacionamento abusivo?

Muitos acreditam que o relacionamento abusivo se restringe a um indivíduo que agride fisicamente e a cônjuge que apanha, mas isso não é verdade. A agressão pode existir de diferentes formas e deixar marcas para o resto da vida, inclusive psicológicas. A violência verbal é mais difícil de ser identificada e é por essa razão que na maior parte das vezes até a própria vítima demora a assimilar o tipo de relação abusiva que está vivendo.

5 Sinais de um relacionamento abusivo: ações comuns entre o agressor e a vítima

1. Quer afastar o outro de tudo e de todos

Exige que a pessoa se afaste de determinados amigos e familiares buscando uma “justificativa” para tal controle. O plano é deixá-la sozinha e dependente apenas dele.

2. Culpa o cônjuge por tudo/manipulação

O abusador está sempre procurando uma maneira de manipular a situação e fazer com que o jogo vire, fazendo com que a outra pessoa se sinta culpada e peça desculpas por algo que não fez. Para conseguir o que deseja o agressor não hesita em fazer chantagens emocionais, chantagens e pressões psicológicas, principalmente com o que sabe que machuca a parceira, afinal, não se importa com o que ela sente e julga seus sentimentos como “bobagem” e baixando a autoestima da vítima.

3. Enxerga o outro como propriedade

Vê a pessoa como posse, querendo controlar tudo que ela faz e agindo com exaltação quando contrariado. Nesse cenário, as agressões, ofensas, xingamentos e humilhações são excessivos.

4. Controle e violência

O agressor quer controlar o dinheiro do casal e ditar com o que a outra pessoa pode ou não gastar, o que vestir e o que fazer. A vítima se sente intimidada e passa a pedir “permissão” para tudo, além de se sentir “pisando em ovos”. Cada ação é pensada de modo que o outro “não se zangue”, mas a realidade é que no relacionamento abusivo, os abusadores são imprevisíveis. A violência pode ser física, verbal e psicológica.

5. Ciúme excessivo/paranoia e invasão de privacidade

Está sempre na paranoia de que está sendo “traído”. Pedindo senhas, lendo mensagens, fuçando as redes sociais, perseguindo e não respeitando a individualidade da vítima. A falta de confiança e paranoia é justificada com frases como: “se não tem nada a esconder, não tem o que temer”.

Abuso é crime. Denuncie e peça ajuda discando 180 – a Central de Atendimento à Mulher, ou procure a Delegacia da Mulher mais próxima.

Gostou do artigo? Aproveite e compartilhe em suas redes sociais e acompanhe nosso blog: Belém Saúde

 

 

 

 

maio amarelo atenção pela vida

Movimento Maio Amarelo: atenção pela vida

By | blog | No Comments

Criado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, o movimento “Maio Amarelo” tem o objetivo de promover a conscientização de motoristas, ciclistas e pedestres no trânsito. Para saber mais, continue lendo o texto a seguir.

Por que a cor amarela foi escolhida para representar esse movimento?

No semáforo, a cor amarela funciona como um sinal de alerta para que todos prestem atenção. Sendo assim, o laço amarelo foi associado ao movimento com o intuito de fazer com que as pessoas pensem em suas ações visando não só a própria segurança, como a de terceiros. Já o mês de maio é um marco histórico e mundial no que diz respeito às medidas de trânsito tomadas em todo o mundo.

Estima-se que no Brasil, de cada 100 mil habitantes, 23 morrem no trânsito. Por essa razão, no dia 11 de maio de 2011, foi decretado pela ONU a Década de Ações Para Segurança do Trânsito, com o propósito de diminuir o número de acidentes.

Causas dos acidentes de trânsito

Existem inúmeras leis de trânsito, mas diariamente elas são infringidas por imprudentes que ultrapassam o sinal vermelho, atravessam fora da faixa e quando o sinal ainda está fechado, dirigem sem cinto, em alta velocidade, sem óculos, digitando e falando ao celular ou até mesmo após consumir bebida alcoólica, entre outras ações que podem resultar em um acidente fatal, além das possíveis multas.

Como evitar acidentes de trânsito?

Segundo dados do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), 65% dos acidentes poderiam ser evitados se os brasileiros conduzissem seus veículos de maneira responsável. Outro ponto que deve ser levado em consideração é: como está a revisão periódica de seu automóvel? Você utiliza os faróis corretamente? Anda colado ao veículo da frente ou mantém a distância segura? Todos esses cuidados devem ser tomados, principalmente em dias nublados e de chuva em que o trânsito fica mais perigoso.

Portanto, evite o celular, não dirija alcoolizado ou sem cinto, respeite a velocidade permitida e tenha a certeza de que peças como pneus e freio estejam em dia, bem como verificar o nível de óleo e água frequentemente.

Seja gentil e ajude quem precisa de você

Mantenha a educação e tenha bom relacionamento com pedestres e condutores à sua volta. Por exemplo: viu um senhor de idade e com dificuldades para andar atravessando a rua? Seja paciente e espere até que ele atravesse. O mesmo vale para pedestres. Viu uma criança, idoso ou qualquer outra pessoa com limitações físicas e motoras? Pratique o bem e os ajude a atravessar com segurança.

Maio Amarelo

Lembre-se de que os assuntos relacionados à mobilidade urbana devem ser debatidos diariamente e não apenas em datas específicas como o maio amarelo. Ajude a reduzir os acidentes viários e contribua para a preservação de vidas. Para isso, fique atento para sua e a nossa segurança.

Aproveite e leia também: Abril Verde.