O que é Higiene Ocupacional? Entenda sua importância e objetivos

By 18 de junho de 2018blog
O que é Higiene Ocupacional? Entenda sua importância e objetivos

O que é Higiene Ocupacional? Entenda sua importância e objetivos

Através deste artigo, saiba mais o que é higiene ocupacional e descubra sua importância para as empresas

Saber exatamente o que é higiene ocupacional é extremamente importante, tanto para empregadores como para empregados. Afinal, estamos tratando de um tema delicado, que está relacionado à saúde e bem-estar de todos os envolvidos no dia a dia de trabalho.

É importante saber, antes de tudo, que a palavra higiene não tem relação com limpeza; mas, sim, com saúde no trabalho.

Então, sem mais delongas, vamos descobrir o que é higiene ocupacional.

O que é higiene ocupacional?

A higiene ocupacional pode ser definida como a ciência do ramo da segurança e medicina do trabalho voltada à:

  • Antecipação;
  • Reconhecimento;
  • Avaliação;
  • Controle de riscos.

Portanto, a higiene ocupacional nada mais é que o conjunto de medidas relacionadas à saúde e bem-estar dos colaboradores, antecipando, reconhecendo, avaliando e controlando os riscos provenientes do ambiente de trabalho.

Qual o objetivo da higiene ocupacional?

O objetivo principal da higiene ocupacional é identificar os riscos à saúde dentro do ambiente de trabalho.

Além disso, controlar e prevenir os colaboradores das doenças ocupacionais (doenças oriundas do ambiente de trabalho) faz também parte das medidas que envolvem a higiene ocupacional.

Isto é, podemos dizer que a higiene ocupacional contempla uma série de medidas que tem como objetivo estabelecer um ambiente de trabalho mais seguro e saudável para todos envolvidos na rotina diária.

O que é Higiene Ocupacional? Entenda sua importância e objetivos

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) são importantes aliados na eficiente higiene ocupacional

Fases da higiene ocupacional

A higiene ocupacional deve seguir quatro importantes fases: antecipação, reconhecimento, avaliação e controle de riscos.

Cada uma dessas fases possui especificidades e objetivos únicos, dos quais abordaremos a seguir.

1) Antecipação de risco

Como o próprio nome diz, nesta etapa, concentra-se na prevenção e antecipação de qualquer risco em potencial.

Portanto, o foco está na elaboração de medidas preventivas, a fim de antecipar quaisquer riscos ambientais presentes no ambiente de trabalho, que possam eventualmente causar danos à integridade física dos colaboradores.

2) Reconhecimento dos riscos

Uma vez feita a antecipação dos riscos, entra em cena o reconhecimento dos riscos. Em suma, podemos definir esta etapa como uma análise dos riscos ambientais, como estudo dos produtos, métodos, procedimentos, instalações e equipamentos.

3) Avaliação dos riscos

Durante a avaliação dos riscos, é feita uma análise quantitativa dos riscos ambientais, sempre levando em consideração os limites de tolerância estabelecidos pelo Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora 15 (NR-15).

De acordo com a NR-15, entende-se por limite de tolerância:

concentração ou intensidade  máxima  ou mínima, relacionada com a natureza e o tempo deexposição ao agente, que não causará dano à saúde do trabalhador, durante a sua vida laboral.

4) Controle dos riscos

Durante o controle dos riscos, foca-se na minimização ou eliminação, parcial ou total, dos riscos antecipados e avaliados nas etapas anteriores dentro do ambiente de trabalho.

O que é Higiene Ocupacional? Entenda sua importância e objetivos

Afinal, o que são os riscos ambientais?

Os riscos ambientais são quaisquer danos em potencial à saúde e integridade física do colaborador durante o exercício das funções pertinentes ao trabalho. Esses riscos são classificados como: físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos.

Riscos físicos

Os riscos físicos são caracterizados pelos danos à saúde e bem-estar dos trabalhadores ocasionados por máquinas ou condições do ambiente de trabalho.

Exemplos de riscos físicos que podem afetar os colaboradores:

  • Ruídos;
  • Vibrações;
  • Radiações;
  • Ionizantes;
  • Frio;
  • Calor;
  • Pressão;

Riscos Químicos

Os riscos químicos são provenientes de substâncias químicas em qualquer um dos três estados: líquido, sólido ou gasoso.

Ou seja, os riscos químicos podem ser definidos como os danos à saúde dos trabalhadores que podem gerar reações tóxicas.

Exemplos de riscos químicos que podem afetar os colaboradores:

  • Gases;
  • Poeiras;
  • Neblinas;
  • Fumos;
  • Névoas;
  • Vapores;
  • Produtos químicos em geral.

Riscos biológicos

Os riscos biológicos são causados por microrganismos capazes de propagar doenças devido ao trabalho.

Exemplos de riscos biológicos  que podem afetar os colaboradores:

  • Vírus;
  • Bactérias;
  • Protozoários;
  • Fungos;
  • Bacilos.

Riscos ergonômicos

Os riscos ergonômicos são caracterizados pelos problemas voltados ao mau uso da ergonomia. Esses riscos surgem à medida que os postos de trabalho dos colaboradores não são adequados às características psicofisiológicas.

Ou seja, o objetivo da ergonomia do trabalho é cuidar das condições de trabalho, oferecendo conforto aos colaboradores ao realizar as atividades no ambiente de trabalho, de modo a não causar quaisquer danos à saúde e bem-estar.

Exemplos de riscos ergonômicos que podem afetar os colaboradores:

  • Esforço físico excessivo;
  • Levantamento e transporte manual de peso;
  • Postura inadequada;
  • Controle rígido de produtividade;
  • Imposição de ritmos excessivos;
  • Trabalhos em turno noturno;
  • Jornada de trabalho prolongada;
  • Monotonia e repetitividade;
  • Stress físico ou psicológico.

Riscos Mecânicos (Acidentes)

Os riscos mecânicos surgem devido às condições físicas impróprias, que podem, assim, causar danos à saúde dos trabalhadores.

Exemplos de riscos mecânicos que podem prejudicar a saúde dos colaboradores:

  • Ferramentas inadequadas ou defeituosas;
  • Possibilidades de incêndio ou explosão;
  • Arranjo físico inadequado;
  • Máquina e Equipamentos sem proteção;
  • Iluminação inadequada;
  • Animais Peçonhentos;
  • Outras situações de riscos que podem provocar acidentes

A higiene Ocupacional, portanto, tem como objetivo, antecipar, reconhecer, avaliar e controlar os todos esses cinco riscos ambientais (físico, químico, biológico, ergonômico e mecânico).

Quem realiza a higiene ocupacional?

Quem realiza a higiene ocupacional é geralmente uma empresa especializada em engenharia e medicina do trabalho. Ela é quem ajuda outras empresas a manter uma rotina de trabalho mais saudável para os colaboradores.

Além disso, a empresa de medicina e engenharia do trabalho auxilia na adequação às Normas Regulamentadoras (NR’s).

Benefícios ao investir em higiene ocupacional

Ao investir em higiene ocupacional, as empresas mantém uma metodologia focada no bem-estar e saúde dos colaboradores.

Os benefícios ao investir em higiene ocupacional são inúmeros, como diminuição nos acidentes de trabalho e dos processos trabalhistas; melhora no rendimento da equipe e queda ou até erradicação do absenteísmo (quantidade de funcionários afastados).

Essas vantagens tornam a higiene ocupacional extremamente importante para o sucesso das empresas.

Portanto, agora que você já sabe o que é higiene ocupacional, comece a cuidar do ambiente de trabalho.

Aproveite e leia também nosso artigo sobre o que é SIPAT

Dicas de segurança no trabalho

 

Deixe seu comentário, ele é importante para nós

Join the discussion 2 Comments

Leave a Reply