Julho Amarelo: O mês de luta e prevenção das hepatites virais

Julho Amarelo: O mês de luta e prevenção das hepatites virais

By 28 de junho de 2019blog
exame hepatites

Conforme lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada em 11 de janeiro no Diário Oficial da União, a partir deste ano, a Campanha Julho Amarelo que combate as hepatites virais é intitulada e deve ser realizada anualmente em todo o Brasil.

Saiba mais sobre as hepatites virais

A hepatite viral é uma inflamação silenciosa e que ocorre no fígado, sendo uma das principais causas de câncer e cirrose na região. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, três milhões de brasileiros estão infectados pela hepatite C, porém não sabem se possuem o vírus.

Visto que grande parte não tem conhecimento sobre a existência da doença, o recomendado é que as pessoas frequentem com regularidade o posto mais próximo e faça o exame gratuitamente para buscar tratamento adequado o quanto antes.

Origem e diagnóstico da doença

Como dito acima, as hepatites virais podem ser causadas na maioria das vezes por vírus, mas também por doenças autoimunes, genéticas, metabólicas e até mesmo uso de medicamentos, álcool, entre outras drogas. Embora nem sempre apresente sintomas, os mais comuns são:

  • Febre;
  • Enjoo;
  • Vômitos;
  • Mal-estar;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Dor abdominal;
  • Pele e olhos amarelados.

Principais tipos de hepatites

As hepatites A, B e C são as mais comuns no Brasil, enquanto a D e E são mais frequentes em países como Ásia e África. Entenda a diferença entre cada uma delas:

  • Hepatite A: relacionada às condições de higiene e saneamento básico, é a que predomina a maior número dos casos e há vacina para combatê-la. Contudo, trata-se de uma infecção leve e que cura sozinha;
  • Hepatite B: depois da hepatite A, é a que mais atinge os brasileiros. A forma ideal para preveni-la é por meio de vacina e uso de preservativo, já que pode ser transmitida por contato sanguíneo e ato sexual;
  • Hepatite C: epidemia cinco vezes maior que a AIDS/HIV e principal causa de transplantes de fígado. Pode ser transmitida pelo contato com sangue e não há vacina. É um estágio avançado que pode se agravar e levar a cirrose, câncer de fígado e até a morte;
  • Hepatite D: ocorre apenas em pacientes infectados pela hepatite B (sendo assim, a vacina contra hepatite B é essencial para se proteger da hepatite D);
  • Hepatite E: transmitida por via digestiva (fecal e oral), não tem o perigo de se tornar crônica, porém as pessoas mais afetadas são mulheres grávidas, que podem apresentar formas mais graves.

Julho amarelo e seu objetivo

Portanto, o julho amarelo tem como propósito incentivar unidades básicas de saúde a intensificar informações relevantes sobre a luta, prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das infecções causadas pelas hepatites virais.

E você, já fez o exame para saber se está tudo em dia? Cuide da sua saúde, cuide de você. Previna a doença e caso seja um portador, não deixe de procurar tratamento.

Aproveite e leia também: Junho vermelho: campanha de incentivo a doação de sangue

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply