Arquivos blog - Belem Saúde
Category

blog

Dicas para cuidar da saúde mental em tempos de pandemia

By | blog | No Comments

O momento pelo qual o mundo está passando é único para a maioria das pessoas.

A COVID-19, além de provocar complicações na saúde física das pessoas, também trouxe mudanças bruscas em suas rotinas, principalmente com o isolamento social.

São durante estes momentos de incerteza que nos sentimos mais ansiosos, tristes e angustiados.

Para lidar com a situação é preciso cuidar da saúde mental também. O que nós podemos fazer é buscar amenizar os sintomas e tentar viver de uma maneira saudável com algumas dicas abaixo:

  • Evite o excesso de informações;
  • Estabeleça uma rotina diária;
  • Se dedique a atividades e hobbies que você gosta;
  • Não deixe de interagir com seus familiares e amigos pelas redes sociais, telefones e aplicativos;
  • Cuide bem do seu sono.

Dicas de ergonomia no trabalho Home Office para ser mais produtivo

By | blog | No Comments

Quando se fala em home office, até mesmo por se tratar de um modelo de trabalho ainda pouco difundido no Brasil, é comum que as pessoas não pensem na ergonomia.

Isso faz com que elas trabalhem em qualquer mesa e cadeira, sem qualquer tipo de preparação do ambiente e sem tomar os cuidados necessários.

Muitas até realizam suas atividades deitadas no sofá ou na cama, o que é extremamente prejudicial.

Negligenciar a ergonomia pode levar às pessoas a adquirirem diversos problemas de saúde, como dores nas costas e no pescoço, cefaleia, além de sintomas emocionais, como estresse e ansiedade, deixando-as improdutivas para qualquer coisa.

Porém, é possível criar hábitos que podem melhorar a experiência e produtividade e diminuir lesões no futuro, como:

  • Escolha um local adequado para o trabalho;
  • Esteja atento à postura;
  • Faça exercícios de alongamento;
  • Exercite as mãos;

Proteja seu ambiente de trabalho do Coronavírus

By | blog | No Comments

Como em ambientes de trabalho as pessoas costumam dividir mesas, telefones e até objetos de escritórios, o potencial de contágio do Novo Coronavírus (COVID-19) entre os funcionários é grande.

Para isso, a OMS publicou um documento com as medidas preventivas que as empresas devem adotar para evitar que a doença se propague.

Confira a seguir as recomendações:

  • Mantenha o local de trabalho limpo, com destaque para superfícies (como mesas), além de objetos como telefones e teclados. Tudo deve ser limpo regularmente com desinfetante.
  • Incentive a lavagem de mãos de funcionários e clientes. Certifique-se de que ambos tenham acesso a locais onde possam lavar as mãos com água e sabão.
  • Espalhe postos de álcool em gel 70% pela empresa em locais visíveis e sinalizados.
  • Mantenha os ambientes arejados.
  • Divulgue internamente e externamente com pôsteres e cartazes sobre a importância de se prevenir do coronavírus.
  • Forneça máscaras faciais e lenços de papel para pessoas que desenvolverem coriza ou tosse no ambiente de trabalho. O descarte desses materiais deve ser feito em lixos fechados com tampa.

Essas ações simples e práticas devem ser inseridas na rotina, mesmo quando a empresa não registrou nenhum caso.

Vale destacar que os funcionários do grupo de risco devem ficar em casa.

Doenças causadas pela má iluminação no ambiente de trabalho

By | blog | No Comments

Assegurar o bem-estar e a qualidade de vida dos funcionários é essencial para evitar doenças laborais e demais danos à saúde.
Portanto, um fator que não deve ser negligenciado é a iluminação no ambiente de trabalho.

Por meio da Norma Regulamentadora 17, a legislação estabelece que todos os locais de trabalho devem garantir uma iluminação adequada às atividades ali desempenhadas.

Além disso, a luz deve ser projetada de modo a evitar efeitos prejudiciais, como: ofuscamento, reflexos que causem incômodos, sombras e contrastes.

A falta ou excesso de luz, por exemplo, pode causar muitos problemas emocionais e físicos ao colaborador, como:

• Irritação nos olhos;
• Queda no rendimento;
• Acidentes de trabalho;
• Distúrbios emocionais;
• Cansaço visual;
• Problemas de pele;
• Dentre outros riscos.

setembro vermelho

Setembro Vermelho: mês de alerta para doenças do coração

By | blog | No Comments

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), as doenças do coração estão entre as principais causas de morte no mundo. No Brasil, a média é de 350 óbitos por ano, o que equivale a 1 falecimento a cada 40 segundos. Sendo assim, em 2014 o Instituto Lado a Lado Pela Vida criou a Campanha Setembro Vermelho, que acontece nesse mês devido ao Dia Mundial do Coração, celebrado no dia 29 para conscientizar as pessoas sobre doenças cardiovasculares.  Quer saber mais? Leia o artigo que a Belém Saúde preparou para você:

Setembro vermelho: como evitar doenças do coração?

A prevenção do desenvolvimento de doenças do coração pode ser mais simples do que parece. Eliminar os maus hábitos e adotar medidas saudáveis, certamente será uma das formas mais eficazes para evitar o surgimento da doença.

Vale ressaltar também que há uma série de fatores que contribui para essa incidência. Entre eles estão:

  • Estresse;
  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Tabagismo, drogas e álcool;
  • Obesidade;
  • Colesterol (LDL);

Estresse

Há muitos motivos para o estresse, que normalmente vem acompanhado por outros problemas como tensões musculares, desgaste físico e mental, mudanças de humor, insônia, ansiedade, dificuldades de concentração, depressão, entre outros. Para evitar o estresse é recomendado dormir pelo menos oito horas por noite, manter uma alimentação saudável e equilibrada (nada de abusar na cafeína) e praticar exercícios físicos (uma ótima opção para descarregar o estresse).

Diabetes

Engana-se quem pensa que controlar o consumo de doces é a única maneira de precaver a diabetes. O estresse, o sedentarismo e a obesidade podem ser grandes contribuintes para seu surgimento, assim como outros alimentos. Por isso, é importante seguir uma dieta orientada por nutricionistas, controlar o peso e ser ativo. Agora se a pessoa já tiver a diabetes, deve comer alimentos ricos em fibras, sem gorduras saturadas e hidrogenadas e se atentar as calorias.

Hipertensão

Todos sabem que a hipertensão é gerada por hábitos inadequados, em especial, o uso de sal e bebida alcoólica em excesso.  Por ser uma doença crônica e sem cura, ela é controlada a base de medicamentos. Além disso, algumas ações podem ser prejudiciais para quem tem pressão alta, como o fumo, o estresse, os alimentos gordurosos, fritos, doces e muito salgados.

Tabagismo, drogas e álcool

O tabaco duplica as chances de risco de o fumante ter um ataque cardíaco, pois acelera o coração, aumenta a pressão arterial e faz o sangue coagular. Os sintomas do tabagismo podem ser irreversíveis e aparecem em longo prazo. Assim como o uso de drogas e bebidas alcoólicas, que podem causar desde arritmia até a morte.

Obesidade

A obesidade é um problema de saúde pública que afeta grande parte de adultos e crianças. A principal razão é o sedentarismo e a ingestão de alimentos densamente calóricos e quando se consome mais energia do que gasta, a tendência é ir ganhando mais peso.

Colesterol (LDL)

Destacamos o LDL, pois há dois tipos de colesterol. O HDL que é considerado bom e reduz a formação de gordura e o LDL que é o ruim e eleva os riscos de infarto. Alguns alimentos que aumentam o colesterol devem ser evitados, como os industrializados, fast food, carne gorda, leite integral, queijos amarelos e cremosos, massa, biscoito, frituras, entre outras gorduras.  Prefira as carnes magras, cereais, frutas, verduras e legumes.

Campanha Setembro Vermelho

Viu só? A Campanha Setembro Vermelho acontece durante todo o mês, mas os cuidados devem ser diários. Leve uma vida mais saudável, cuide do seu coração.

Leia também: Setembro Verde

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

doação de órgãos são paulo

Setembro Verde enfatiza a importância da doação de órgãos

By | blog | No Comments

O dia 27 de setembro é marcado pelo Dia Nacional da Doação de Órgãos, e por essa razão, este é o mês escolhido para conscientizar a população sobre a importância de ser um doador. Entidades como o Ministério da Saúde e algumas ONGs promovem ações anuais para lembrar que, apenas no Brasil, há em torno de 40 mil pessoas aguardando por um transplante. Saiba mais sobre o Setembro Verde no texto a seguir:

Brasil: maior número de transplantes realizados no mundo

Embora a quantidade de pessoas esperando por uma doação de órgãos seja alta, o Brasil está entre os países com maior número de transplantes realizados no mundo. No primeiro semestre de 2017, por exemplo, o aumento de doares foi de 15%. Contudo, para suprir a necessidade de todos que esperam por ajuda, a conscientização precisa se espalhar.

Como funciona a doação de órgãos? Quem pode doar?

Primeiramente vale ressaltar que muitos indivíduos deixam de doar por não entender sobre o assunto e, consequentemente, ter receio de que este não seja um método seguro, por isso é fundamental entender como funciona o processo de doação de órgãos.

O procedimento cirúrgico pode ser feito tanto com o doador em vida, quanto após o falecimento, com exceção de pessoas sem identidade, portadores de doenças transmissíveis, câncer generalizado e infecções graves. Menos de 21 anos precisam da autorização de um responsável.

No caso da pessoa estar viva, ela pode doar desde que não prejudique sua própria saúde. Entre a doação de órgãos que podem ser doados estão:

  • Um dos rins;
  • Parte do fígado;
  • Parte do pulmão;
  • Parte da medula óssea.

Conforme a lei, cônjuges e parentes até quarto grau tem o direito de serem doadores, caso contrário, é necessário solicitar autorização da justiça. Por outro lado, quando se trata de um doador falecido, são pacientes com morte encefálica. Após a parada cardiorrespiratória pode ser feita a doação de tecidos como:

  • Córnea;
  • Pele;
  • Musculoesquelético.

Porém, a família deve autorizar essa doação. Sendo assim, se seu desejo é ser um doador, é importante informar seus familiares para que sua vontade seja respeitada. O receptor por sua vez, será sempre indicado pela Central de Transplantes de acordo com a urgência e critérios de compatibilidade.

Quanto tempo dura os procedimentos de doação de órgãos (isquemia)?

  • Fígaro (12 horas);
  • Pâncreas (12 horas);
  • Rim (48 horas);
  • Coração (4 horas);
  • Pulmão (4 a 6 horas).

Agora que você já sabe mais a respeito de como funciona a doação de órgãos e qual sua importante, participe desse ato de amor ao próximo e seja um doar, ajude a salvar vidas.

Aproveite e leia também: Campanha Setembro Amarelo

Agosto Dourado semana da amamentação

Campanha Agosto Dourado: incentivo à amamentação no Brasil

By | blog | No Comments

Dedicado à amamentação, o mês de agosto é simbolizado pela campanha social “Agosto Dourado”. Para conscientizar pais e mães, tanto antes, quanto após a gestação, a proposta foi criada pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) na semana do aleitamento materno. A cor escolhida para essa representação significa o “padrão ouro de qualidade” do alimento.

Portanto, a campanha Agosto Dourado tem como objetivo sensibilizar profissionais e a população em geral para o estímulo deste ato de amor. A seguir saiba mais sobre os benefícios da amamentação.

Por que o leite materno é indispensável para o crescimento saudável do bebê?

Composto por todos os nutrientes e sais minerais que a criança necessita até os 06 meses de idade, o leito materno é o alimento mais completo e equilibrado que existe. Diferente dos demais industrializados, ele é formado por todas as proteínas, gorduras, vitaminas, açúcares, água, anticorpos e glóbulos brancos para prevenir doenças e infecções e contribuir para o equilíbrio e sustentação para a criança aprender a sentar, engatinhar e andar.

Além de aumentar o vínculo entre mãe e filho, previne a anemia, contribui para a formação do sistema imunológica, evita alergias, intolerância ao glúten e obesidade. O leite materno contém uma molécula chamada PSTI, que tem a função de proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos.

A sucção também é essencial para o desenvolvimento da arcada dentária do bebê. Em alguns casos, o alimento possui ômega 3 (que é de extrema importância para o crescimento de prematuros nos primeiros meses de vida).

Vale ressaltar também que os bebês que mamam até o sexto mês têm menos chances de desenvolver asma e artrite reumatoide, pois a proteína presente no leite maternal combate vírus e bactérias do trato gastrointestinal.

Benefícios do leite materno para as mães

  • Previne a mulher contra o câncer de mama e ovário;
  • Evita sangramento excessivo e anemia;
  • Auxilia no desprendimento da placenta, consequentemente ajudando para a volta do útero ao tamanho normal;
  • Elimina até 800 calorias por dia (contribuindo para a perda de peso dos quilos que a mãe ganha durante a gestação);
  • Protege a mulher contra doenças cardiovasculares;
  • Oferece sensação de bem-estar as mães;
  • Diminui a ansiedade;
  • Aumenta a segurança.

Até que idade a criança deve ser amamentada?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o leite materno reduz o índice de mortalidade infantil. Embora a partir do 6° mês as crianças tenham que ser alimentadas com sopas e papinhas, o ideal é que a amamentação ocorra até os 2 anos de idade.

Agosto Dourado

Promovida pela OMS e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em mais de 170 países, a Campanha Agosto Dourado é celebrada de 1 a 7 deste mês, na mesma semana em que é celebrada a Semana Mundial do Aleitamento Materno.

Agora que você já sabe mais sobre a Campanha Agosto Dourado, se junte a nós nessa missão e ajude a fazer com que mais mulheres se sintam confiantes e apoiadas neste gesto de amor.

Veja outra campanha celebrada neste mês de agosto: Campanha Agosto Lilás e o relacionamento abusivo em pauta

 

 

Agosto Lilás mês de combate à violência contra a mulher/relacionamento abusivo

Campanha Agosto Lilás e o relacionamento abusivo em pauta

By | blog | No Comments

Este ano a Lei Maria da Penha completa 13 anos e o Ministério Público Estadual (MPAL) promove a Campanha Agosto Lilás reunindo uma série de debates que buscam conscientizar a sociedade sobre a gravidade do relacionamento abusivo. Infelizmente, o número de vítimas que sofrem agressões físicas e psicológicas de seus parceiros não para de crescer. Para ter uma ideia, apenas no Brasil, 3 em cada 5 mulheres afirmam viver ou já ter vivido uma relação abusiva.

Brasil: um dos países mais violentos

Segundo dados do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o Brasil está em 5° lugar quando o assunto é violência doméstica contra mulheres. Em meio aos processos judiciais, há cerca de um milhão de casos, sendo dez mil de feminicídio. Sendo assim, é de extrema importância discutir a temática publicamente. Continue lendo o texto a seguir e veja alguns sinais que te ajudarão a identificar um relacionamento abusivo. Mas antes, vale ressaltar que qualquer um está sujeito a ser a “vítima” do relacionamento abusivo, porém o mais comum é entre homens e mulheres, onde a figura masculina assume o papel de agressor. Tudo dependerá da questão de poder que uma pessoa exerce sobre a outra.

Afinal, o que é um relacionamento abusivo?

Muitos acreditam que o relacionamento abusivo se restringe a um indivíduo que agride fisicamente e a cônjuge que apanha, mas isso não é verdade. A agressão pode existir de diferentes formas e deixar marcas para o resto da vida, inclusive psicológicas. A violência verbal é mais difícil de ser identificada e é por essa razão que na maior parte das vezes até a própria vítima demora a assimilar o tipo de relação abusiva que está vivendo.

5 Sinais de um relacionamento abusivo: ações comuns entre o agressor e a vítima

1. Quer afastar o outro de tudo e de todos

Exige que a pessoa se afaste de determinados amigos e familiares buscando uma “justificativa” para tal controle. O plano é deixá-la sozinha e dependente apenas dele.

2. Culpa o cônjuge por tudo/manipulação

O abusador está sempre procurando uma maneira de manipular a situação e fazer com que o jogo vire, fazendo com que a outra pessoa se sinta culpada e peça desculpas por algo que não fez. Para conseguir o que deseja o agressor não hesita em fazer chantagens emocionais, chantagens e pressões psicológicas, principalmente com o que sabe que machuca a parceira, afinal, não se importa com o que ela sente e julga seus sentimentos como “bobagem” e baixando a autoestima da vítima.

3. Enxerga o outro como propriedade

Vê a pessoa como posse, querendo controlar tudo que ela faz e agindo com exaltação quando contrariado. Nesse cenário, as agressões, ofensas, xingamentos e humilhações são excessivos.

4. Controle e violência

O agressor quer controlar o dinheiro do casal e ditar com o que a outra pessoa pode ou não gastar, o que vestir e o que fazer. A vítima se sente intimidada e passa a pedir “permissão” para tudo, além de se sentir “pisando em ovos”. Cada ação é pensada de modo que o outro “não se zangue”, mas a realidade é que no relacionamento abusivo, os abusadores são imprevisíveis. A violência pode ser física, verbal e psicológica.

5. Ciúme excessivo/paranoia e invasão de privacidade

Está sempre na paranoia de que está sendo “traído”. Pedindo senhas, lendo mensagens, fuçando as redes sociais, perseguindo e não respeitando a individualidade da vítima. A falta de confiança e paranoia é justificada com frases como: “se não tem nada a esconder, não tem o que temer”.

Abuso é crime. Denuncie e peça ajuda discando 180 – a Central de Atendimento à Mulher, ou procure a Delegacia da Mulher mais próxima.

Gostou do artigo? Aproveite e compartilhe em suas redes sociais e acompanhe nosso blog: Belém Saúde

 

 

 

 

exame hepatites

Julho Amarelo: O mês de luta e prevenção das hepatites virais

By | blog | No Comments

Conforme lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada em 11 de janeiro no Diário Oficial da União, a partir deste ano, a Campanha Julho Amarelo que combate as hepatites virais é intitulada e deve ser realizada anualmente em todo o Brasil.

Saiba mais sobre as hepatites virais

A hepatite viral é uma inflamação silenciosa e que ocorre no fígado, sendo uma das principais causas de câncer e cirrose na região. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, três milhões de brasileiros estão infectados pela hepatite C, porém não sabem se possuem o vírus.

Visto que grande parte não tem conhecimento sobre a existência da doença, o recomendado é que as pessoas frequentem com regularidade o posto mais próximo e faça o exame gratuitamente para buscar tratamento adequado o quanto antes.

Origem e diagnóstico da doença

Como dito acima, as hepatites virais podem ser causadas na maioria das vezes por vírus, mas também por doenças autoimunes, genéticas, metabólicas e até mesmo uso de medicamentos, álcool, entre outras drogas. Embora nem sempre apresente sintomas, os mais comuns são:

  • Febre;
  • Enjoo;
  • Vômitos;
  • Mal-estar;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Dor abdominal;
  • Pele e olhos amarelados.

Principais tipos de hepatites

As hepatites A, B e C são as mais comuns no Brasil, enquanto a D e E são mais frequentes em países como Ásia e África. Entenda a diferença entre cada uma delas:

  • Hepatite A: relacionada às condições de higiene e saneamento básico, é a que predomina a maior número dos casos e há vacina para combatê-la. Contudo, trata-se de uma infecção leve e que cura sozinha;
  • Hepatite B: depois da hepatite A, é a que mais atinge os brasileiros. A forma ideal para preveni-la é por meio de vacina e uso de preservativo, já que pode ser transmitida por contato sanguíneo e ato sexual;
  • Hepatite C: epidemia cinco vezes maior que a AIDS/HIV e principal causa de transplantes de fígado. Pode ser transmitida pelo contato com sangue e não há vacina. É um estágio avançado que pode se agravar e levar a cirrose, câncer de fígado e até a morte;
  • Hepatite D: ocorre apenas em pacientes infectados pela hepatite B (sendo assim, a vacina contra hepatite B é essencial para se proteger da hepatite D);
  • Hepatite E: transmitida por via digestiva (fecal e oral), não tem o perigo de se tornar crônica, porém as pessoas mais afetadas são mulheres grávidas, que podem apresentar formas mais graves.

Julho amarelo e seu objetivo

Portanto, o julho amarelo tem como propósito incentivar unidades básicas de saúde a intensificar informações relevantes sobre a luta, prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das infecções causadas pelas hepatites virais.

E você, já fez o exame para saber se está tudo em dia? Cuide da sua saúde, cuide de você. Previna a doença e caso seja um portador, não deixe de procurar tratamento.

Aproveite e leia também: Junho vermelho: campanha de incentivo a doação de sangue