Arquivos blog - Belem Saúde
Category

blog

seja um doador de sangue

Junho vermelho: campanha de incentivo a doação de sangue

By | blog | No Comments

Campanha promove ações que visam incentivar as pessoas a doarem sangue

Neste mês as temperaturas ficam mais baixas e as infecções respiratórias passam a se manifestar com frequência, deixando as pessoas vulneráveis. Consequentemente, esse período também é marcado por uma queda equivalente a 30% de doadores, tanto para estoques públicos quanto privados.

Saiba mais sobre o Junho Vermelho

Dados levantados pelo Eu Dou Sangue em parceria com Instituto Datafolha mostram que de 2.771 entrevistados em todo o país, 39% dos brasileiros nem mesmo sabem qual é seu tipo sanguíneo. O estudo ainda revela que entre junho de 2016 e junho de 2017, 92% disseram não ter doado sangue.

Além disso, segundo informações da campanha #PartiuDoarSangue, a porcentagem de pessoas dispostas a doar sangue está muito abaixo do ideal, correspondendo a 1,8%, enquanto o desejado é 5%. Países da Europa, por exemplo, estão à frente do Brasil com cerca de 7%.

Sendo assim, a Campanha Julho Vermelho surge como uma iniciativa para conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue, principalmente nessa época do ano, quando o clima mais frio, chuvoso e a entrada de recesso desfavorecem os hemocentros.

Contudo, o intuito do Julho Vermelho é atrair doadores durante todo o ano, visto que o maior número de doações acontece apenas em datas comemorativas.

Dia Mundial do Doador de Sangue

Com a mesma proposta de mudar este cenário, no dia 14 de junho é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue. Criada em 2014 pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A data foi escolhida para homenagear o nascimento do imunologista austríaco Karl Landsteiner (1868-1943) que foi o responsável por descobrir o fator Rh e os diferentes tipos sanguíneos.

Quem está apto a doar sangue?

Conforme os órgãos que regem esse controle – OMS (Organização Mundial da Saúde) e Associação Americana de Bancos de Sangue, existem normas nacionais e internacionais que devem ser respeitadas na triagem para que o sangue doado não contamine quem está recebendo a doação. Entre as principais, estão:

  • Ter entre 16 e 69 anos;
  • Acima de 60 anos só pode doar se já tiver doado anteriormente;
  • Ter peso superior a 50 quilos;
  • Estar bem alimentado e descansado (evitar alimentos gordurosos e dormir no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas);
  • No caso de mulheres grávidas, aguardar 180 dias após o parto;
  • Não ter Doença de Chagas, Sífilis, Hepatite B, Hepatite C, AIDS (HIV), HTLV;
  • Mulheres precisam esperar 90 dias para fazer uma nova doação, enquanto os homens devem aguardar 60 dias;
  • Não pode estar anêmico ou com hipertensão e hipotensão arterial no teste feito antes da doação;
  • Não pode estar com febre no dia da doação;
  • Nunca ter usado drogas ilícitas injetáveis;
  • Quem esteve em locais com alto índice de malária deve aguardar 12 meses;
  • Quem esteve em região com surto de febre amarela deve aguardar 30 dias (se tomou a vacina, esperar 4 semanas e se contraiu a doença 6 meses após a recuperação total);
  • Evitar consumo alcoólico pelo menos 12 horas antes;
  • Se fizer tatuagem, deve respeitar o prazo de 1 ano para poder doar.

Quero ser um doador. Qual o primeiro passo?

Primeiramente você deve verificar se está nas condições adequadas para ser um doador. Feito isso, basta se apresentar ao local de coleta e realizar um cadastro com apresentação de documento original e com foto. Depois você passará pela pré-triagem para verificação dos sinais vitais e em seguida, a triagem clínica, onde é feita uma entrevista individual e sigilosa, análise de antecedentes e o estado atual de saúde do avaliado.

Esse processo serve para garantir a segurança tanto do doador, como do receptor. Após esse passo-a-passo, é coletado aproximadamente 450 ml de sangue e amostras para realização dos testes de laboratório. Ao fim da coleta, o doador receberá um lanche.

O que fazer na pós-doação?

  • É indicado que a pessoa permaneça no local por pelo menos 15 minutos e se hidrate bem durante o dia;
  • Não ingerir bebida alcoólica por 24 horas;
  • Não fumar nas primeiras 2 horas;
  • Evitar exercícios pesados;
  • Manter o curativo por, no mínimo, 4 horas.

Está esperando o que para se tornar um doador? Contribua com a Campanha Junho Vermelho. Doe sangue, ajude a salvar vidas.

Aproveite e leia também Maio Amarelo: atenção pela vida

maio amarelo atenção pela vida

Movimento Maio Amarelo: atenção pela vida

By | blog | No Comments

Criado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, o movimento “Maio Amarelo” tem o objetivo de promover a conscientização de motoristas, ciclistas e pedestres no trânsito. Para saber mais, continue lendo o texto a seguir.

Por que a cor amarela foi escolhida para representar esse movimento?

No semáforo, a cor amarela funciona como um sinal de alerta para que todos prestem atenção. Sendo assim, o laço amarelo foi associado ao movimento com o intuito de fazer com que as pessoas pensem em suas ações visando não só a própria segurança, como a de terceiros. Já o mês de maio é um marco histórico e mundial no que diz respeito às medidas de trânsito tomadas em todo o mundo.

Estima-se que no Brasil, de cada 100 mil habitantes, 23 morrem no trânsito. Por essa razão, no dia 11 de maio de 2011, foi decretado pela ONU a Década de Ações Para Segurança do Trânsito, com o propósito de diminuir o número de acidentes.

Causas dos acidentes de trânsito

Existem inúmeras leis de trânsito, mas diariamente elas são infringidas por imprudentes que ultrapassam o sinal vermelho, atravessam fora da faixa e quando o sinal ainda está fechado, dirigem sem cinto, em alta velocidade, sem óculos, digitando e falando ao celular ou até mesmo após consumir bebida alcoólica, entre outras ações que podem resultar em um acidente fatal, além das possíveis multas.

Como evitar acidentes de trânsito?

Segundo dados do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), 65% dos acidentes poderiam ser evitados se os brasileiros conduzissem seus veículos de maneira responsável. Outro ponto que deve ser levado em consideração é: como está a revisão periódica de seu automóvel? Você utiliza os faróis corretamente? Anda colado ao veículo da frente ou mantém a distância segura? Todos esses cuidados devem ser tomados, principalmente em dias nublados e de chuva em que o trânsito fica mais perigoso.

Portanto, evite o celular, não dirija alcoolizado ou sem cinto, respeite a velocidade permitida e tenha a certeza de que peças como pneus e freio estejam em dia, bem como verificar o nível de óleo e água frequentemente.

Seja gentil e ajude quem precisa de você

Mantenha a educação e tenha bom relacionamento com pedestres e condutores à sua volta. Por exemplo: viu um senhor de idade e com dificuldades para andar atravessando a rua? Seja paciente e espere até que ele atravesse. O mesmo vale para pedestres. Viu uma criança, idoso ou qualquer outra pessoa com limitações físicas e motoras? Pratique o bem e os ajude a atravessar com segurança.

Maio Amarelo

Lembre-se de que os assuntos relacionados à mobilidade urbana devem ser debatidos diariamente e não apenas em datas específicas como o maio amarelo. Ajude a reduzir os acidentes viários e contribua para a preservação de vidas. Para isso, fique atento para sua e a nossa segurança.

Aproveite e leia também: Abril Verde.

 

 

 

movimento abril verde

Conheça o Movimento Abril Verde

By | blog | No Comments

Em nosso artigo anterior falamos sobre o Abril Azul, enfatizando a importância de entender e debater assuntos como o autismo.  Hoje, é dia de falar sobre o Movimento Abril Verde. Quer saber mais? Veja o que a Belém Saúde preparou para você.

Por que Abril Verde?

A cor verde é popular em meio aos cursos da área de saúde. Por essa razão, ela foi escolhida para representar o mês de abril e simbolizar a segurança do trabalho. Você deve estar se perguntando: “mas por que abril?”. Bom, no mês de abril é celebrado o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho, especificamente no dia 28/03 (data em que 78 trabalhadores foram vítimas de uma explosão na mina da cidade de Farmington, estado de Virgínia, nos Estados Unidos).

Qual o propósito do Abril Verde?

O objetivo é dar visibilidade ao tema, mostrando o quanto investir em procedimentos de saúde e segurança no trabalho podem ser eficazes na redução do número de acidentes. Dessa forma, incentivar cada vez mais empresas a adotarem métodos seguros e assim, evitar que o pior aconteça com o funcionário.

O que é feito durante o Abril Verde?

O Movimento Abril Verde surgiu por meio de uma iniciativa do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Estado do Paraná. Ele conta com palestras, encontros, seminários, mobilizações sociais, debates, sinalizações com o símbolo do laço verde, entre outros aspectos esverdeados que façam referência à saúde e segurança do trabalhador.

Importância da segurança do trabalho

A segurança no trabalho dentro das empresas é essencial não só para o colaborador, como também para o sucesso de seu negócio. Vale ressaltar que um funcionário saudável, é um funcionário produtivo, que certamente atuará com mais eficiência no cargo que exerce. Além disso, o contratante estará se prevenindo de faltas inesperadas ou até mesmo afastamento por acidentes ocorridos dentro do ambiente de trabalho. Inclusive, é importante lembrar que estes, junto ao estresse, estão entre os motivos mais comuns de afastamento.

Saúde é tudo e deve vir sempre em primeiro lugar, principalmente no local onde o trabalhador passa sua maior parte do tempo. Agora que você já sabe mais sobre o Abril Verde, que tal compartilhar em suas redes sociais? A troca de informação é primordial para contribuir para o envolvimento da sociedade em questões que merecem atenção.

 

 

 

 

abril azul: conscientização do autismo

Abril Azul: mês de conscientização do autismo

By | blog | No Comments

O mês de abril é representado pela cor azul com o intuito de abordar O Dia Mundial do Autismo, que é comemorado no dia 02/03. Esta data foi criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) e já é celebrada há 12 anos. Inclusive, vários pontos turísticos do país são decorados e iluminados com as cores que simboliza o Autismo.

Vale ressaltar que nos dias de hoje, ainda existem pessoas que pouco sabe sobre o assunto, muitas vezes estabelecendo pré-conceitos em relação aos portadores da doença. Por essa razão, a Belém Saúde optou em trazer o tema em um artigo que acabará de vez com todos os estereótipos que o circulam. Quer saber mais? Leia o texto a seguir:

O que é, de fato, o autismo?

Ser um autista é ser uma pessoa com transtornos no desenvolvimento do cérebro, mais conhecido como TEA (Transtornos de Espectro Autista). É importante saber que existem diferentes níveis de autismo e nem todos os autistas possuem atraso mental. O nível mais leve, por exemplo, é a Síndrome de Asperger (atribuída a casos raros como Mozart, Michelangelo e Leonardo da Vinci).

Em grande maioria, pessoas com autismo tem dificuldade em aprender, consequentemente atrasando as habilidades sociais, cognitivas e comunicativas, além de sentir fobia e agir com agressividade em certos momentos.

Diagnóstico

O autista é identificado antes mesmo dos 3 anos de idade. Os pais devem ficar atentos e observar o comportamento dessas crianças, e claro, sempre realizando acompanhamento médico para uma opinião profissional. Crianças autistas apresentam desde muito cedo sinais como falta de interesse em se relacionar com pessoas, ausência de contato visual e atenção exagerada a objetos.

Abril Azul: O Dia Mundial do Autismo

O dia do autismo é celebrado em diversas cidades do Brasil, onde acontecem palestras e eventos abertos ao público. O principal objetivo é promover a conscientização do maior número de pessoas possível, para que assim, possam colher informações sobre a doença e aprender a lidar com autistas.

Consulte um especialista

O descobrimento precoce é essencial para que o autista comece a receber apoio médico desde a infância. Fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo clínico, neurologista, pediatra e psiquiatra. Tratamentos para controlar a raiva, terapia familiar, análise do comportamento aplicada, processamento sensorial, entre outros métodos são fundamentais para que a criança receba suporte para seu desenvolvimento e aprendizagem.

Agora que você já sabe mais sobre o autismo, curta e compartilhe nas redes sociais. Para maiores informações e esclarecimentos entre em contato com a Belém Saúde.

 

 

 

 

diagnóstico prevenção câncer de colo do útero

Março lilás: prevenção do câncer de colo do útero

By | blog | No Comments

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), depois do câncer de mama e do câncer colorretal, o câncer de colo do útero é um dos que mais afetam a população feminina, podendo até mesmo deixar a mulher estérea. Além disso, é o quarto tumor que mais mata mulheres no Brasil. No ano de 2018, por exemplo, foram registrados 16 mil casos.
Sendo assim, o Março Lilás foi criado com o objetivo de conscientizar o público sobre a doença. Quer saber mais? Continue lendo o texto a seguir:

Diagnóstico

Existem dois tipos de câncer de útero: carcinomas e adenocarcinomas. O primeiro geralmente acontece a partir do vírus HPV, enquanto o segundo é um tipo mais incomum, mas também apresenta o risco de se desenvolver. Também há situações onde as células cancerígenas podem estar juntas.
Há 20 anos, grande parte das pessoas com câncer de colo do útero descobria a doença quando já estava em um estágio avançado. Ao longo do tempo, o avanço tecnológico trouxe muitos benefícios para a medicina e hoje, 44% identificam o câncer logo no início.
Câncer de útero na gravidez
É raro, mas o câncer de colo do útero também pode surgir durante a gravidez. Dependendo do grau de gravidade, a gestação deve ser interrompida para dar início ao tratamento adequado. Contudo, se o médico responsável e a mãe optem por dar à luz, o parto precisará ser feito por meio da cesariana.
Causas do câncer de colo do útero
Como dito anteriormente, a principal causa é o HPV, mas há uma série de fatores que podem levar ao câncer de colo do útero. Entre elas:

• Relação sexual com múltiplos parceiros;
• Iniciar a vida sexual precocemente;
• Ter um parceiro que se relaciona com outras pessoas;
• Baixa imunidade;
• Fumar;
• Não cuidar da higiene íntima.

Sintomas

Vale ressaltar que os sintomas são muito parecidos com doenças comuns, o que dificulta o diagnóstico. Por isso, é importante estar sempre com os exames médicos em dia. Alguns sinais:

• Dor e sangramento fora do período menstrual;
• Problemas na bexiga;
• Corrimento;
• Verrugas na área genital;
• Dores nas pernas;
• Dores nas costas;
• Perda de peso repentina.

Tratamento

No estágio inicial são recomendados tratamentos como histerectomia radical (onde acontece a retirada dos linfonodos pélvicos), traquelectomia, biópsia em cone, radioterapia e braquiterapia. No segundo estágio, quando o tumor tem até quatro centímetros, é feita a retirada dos gânglios linfáticos pélvicos. Agora se a medida for maior, o indicado é realizar uma braquiterapia e radioterapia externa junto à quimioterapia com cisplatina. Se for detectado um estado mais grave, o útero deve ser retirado.
Já no terceiro, se o câncer tiver se espelhado, o tratamento deve ser feito de modo que os sintomas sejam amenizados e o paciente tenha acesso a melhores condições de vida. Neste estado são indicados radioterapia, quimioterapia e medicamentos como gemcitabina, paclitaxel e topotecano.

Março Lilás

2019 é o segundo ano consecutivo em que acontece a Campanha Março Lilás, onde são realizadas palestras, vacinações, testes e exames. Se prevenir é sempre a melhor opção, portanto, sua participação é muito importante. Preserve a vida e viva com sabedoria.
Aproveite e leia também: Fevereiro laranja: o mês de combate à leucemia

contribuir com o fevereiro laranja

Fevereiro laranja: o mês de combate à leucemia

By | blog | No Comments

Em nosso artigo anterior falamos a respeito do Fevereiro Roxo e seus objetivos. Mas você sabia que a cor laranja também é destaque ao trazer a campanha de combate à leucemia? Para saber mais sobre essa conscientização continue lendo o texto a seguir:

Aspectos da leucemia

A leucemia é um tipo de câncer maligno que tem origem na medula óssea (onde as células de sangue são formadas). Logo, os glóbulos brancos (também chamados de leucócitos) são afetados e descontroladamente passam a se reproduzir, dando início aos primeiros sinais da doença.

Os sintomas se manifestam de formas variadas. A produção de glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas prejudicadas podem refletir em uma série de malefícios. Entre os mais comuns estão:

  • Anemia;
  • Dor nas articulações e ossos;
  • Sono em excesso;
  • Palidez;
  • Fadiga;
  • Sangramentos no nariz e na gengiva;
  • Pontos vermelhos ou manchas roxas na pele
  • Perda de peso sem explicação;
  • Febre e suor durante a noite;
  • Desconforto abdominal;
  • Inchaços

Ao desconfiar que possa estar com leucemia, a pessoa deve passar por uma avaliação médica onde será realizada a coleta de medula óssea para exames específicos. Caso o resultado seja positivo, o profissional irá indicar o tratamento adequado que inclui quimioterapia, medicação para controlar as infecções, amenizar as hemorragias e em algumas situações o transplante de medula óssea. Vale destacar que o processo precisa ser começado imediatamente após a descoberta.

Sendo assim, a campanha Fevereiro Laranja tem como objetivo não só alertar sobre a prevenção da leucemia, mas também abordar a importância da doação de medula óssea, já que o tratamento pode incluir o transplante.

Tipos de leucemia

  • Leucemia linfoide crônica: prejudica as células linfoides e se desenvolve lentamente. Raramente afeta crianças. A maioria das vítimas possui mais de 55 anos;
  • Leucemia mieloide crônica: Se desenvolve vagorosamente em seu estágio inicial, afetando principalmente os adultos;
  • Leucemia linfoide aguda: afeta as linfoides, mas diferente da crônica, agrava-se rapidamente. Comum em adultos e crianças pequenas;
  • Leucemia mieloide aguda: Tanto adultos quanto crianças são afetadas. Desenrola-se com agilidade.

Como ser um doador e qual o procedimento do transplante?

Infelizmente, são poucos os necessitados que conseguem encontrar um doador compatível. Contudo, dados mostram que no Brasil, por exemplo, há mais de 3 milhões de pessoas cadastradas no Redome (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea).

Para ser um doador é preciso se encaixar em alguns requisitos a começar pela idade. Para realizar o cadastro o indivíduo deve ter entre 18 e 55 anos (podendo ser chamado até os 60), além de não poder ter nenhuma doença infecciosa ou específica do sangue.

A pessoa que deseja ser um doador deve comparecer ao hemocentro de sua cidade e fazer o cadastro com dados pessoais e a coleta de sangue para os testes genéticos. É importante lembrar que para ser encontrado, esse cadastro tem que se manter atualizado, pois o voluntário pode ser chamado em 5, 10 ou 15 anos.

Uma vez que a saúde do doador é comprovada, ele é internado e pode passar por dois procedimentos: por pulsão ou aférese. O primeiro a retirada é feita através do osso da bacia com uma agulha. Enquanto o segundo acontece por meio de medicação, onde as células sadias se proliferam e a doação é realizada normalmente como uma doação de sangue.

A doação de medula óssea é um gesto de amor à todas as vidas que estão esperando pela oportunidade de um transplante. Seja um salvador de vidas, seja um doador.

conheça o fevereiro roxo

Fevereiro roxo: entenda sobre essa conscientização

By | blog | No Comments

No artigo anterior falamos a respeito do Janeiro Branco, onde muitas pessoas ficaram surpresas ao saber que além do Outubro Rosa e o Novembro Azul, várias outras representações surgiram para conscientização de doenças. Contudo, a grande maioria ainda não é tão falada pela mídia. Bom, esse é o momento de apresentá-lo ao Fevereiro Roxo. Quer saber mais a respeito dessa importante campanha? Então vamos lá.

O que o fevereiro roxo representa?

Criado em 2014, na cidade de Uberlândia (Minas Gerais), o Fevereiro Roxo é o mês de falar a respeito do Lúpus, da Fibromialgia e do Alzheimer. Trata-se de doenças que embora apresentem condições diferentes entre si, são graves, incuráveis e poderiam ser tratadas com mais facilidade se descobertas em um estágio inicial.

Se identificadas no início, as chances de controlar ou retardar os sintomas de maneira eficaz, certamente são maiores. Vale ressaltar que ambas as doenças possuem sinais inicias relativamente inofensivos. Portanto, o Fevereiro Roxo tem o intuito de incentivar o diagnóstico precoce a partir do lema: “se não houver cura, que ao menos haja conforto”.

Em que consiste o Lúpus?

Talvez você já tenha ouvido falar sobre o Lúpus, que foi um assunto recorrente nos meios de comunicação quando duas artistas internacionais (Lady Gaga e Selena Gomez) revelaram sofrer com a doença. Inclusive, a primeira mostrou alguns aspectos do Lúpus em seu documentário “Five Foot Two”.

O Lúpus é autoimune, porém, pouco se sabe sua origem, mas ela pode causar dores extremamente fortes à vítima. O que faz com que o tratamento adequado para esse tipo de doença seja indispensável para amenizar o sofrimento e aumentar a qualidade de vida.

Já o Lúpus Discóide é um pouco menos devastador, visto que afeta somente a pele. Essa versão causa vermelhidões em locais como a nuca, o rosto e o couro cabeludo.

O que é Fibromialgia?

A Fibromialgia é uma síndrome geralmente originada de fatores genéticos. Seus portadores são em maioria mulheres entre 30 e 60 anos de idade, mas não anula a chance desse inconveniente surgir durante a infância ou adolescência. Além disso, entre seus principais sintomas estão: dores no corpo, formigamento nos pés e nas mãos, fadiga, problemas com o sono e dificuldades cognitivas como perda de memória, por exemplo.

Infelizmente, a fibromialgia é caracterizada por causar cores constantes e que duram cerca de três meses a cada vez que resolve se manifestar. Por fim, é importante destacar que em casos extremos, a fibromialgia pode levar a quadros de depressão.

Quais os principais sintomas do Alzheimer?

Quem tem um familiar idoso deve ficar atento aos sintomas do Alzheimer, pois como todos sabem, ele está ligado à idade avançada e pode aparecer a qualquer momento, gerando problemas na fala e na memória. A pessoa com Alzheimer consegue se lembrar de fatos que aconteceram há muitos anos, mas esquece de coisas que acabaram de acontecer, misturando fatos do passado com o presente.

É muito triste, pois podem perder a consciência de quem é seus filhos, netos, entre outras pessoas próximas. Dessa forma, a capacidade de convívio social e aprendizado ficam seriamente afetados. Podemos associar o paciente como um bebê, que depende de ajuda para realizar as tarefas do dia-a-dia.

Mesmo que o Alzheimer não tenha cura, se identificado logo no início, algumas medidas podem ser tomadas para retardar efeitos mais graves. Por exemplo: tratamentos terapêuticos e medicamentos controlados.

Gostou de saber sobre o Fevereiro Roxo? Fique ligado no próximo post da Belém Saúde, onde falaremos sobre o Fevereiro Laranja – conscientização do tipo mais comum de câncer: a leucemia. Um recado muito importante que gostaríamos de dar a você leitor é: entender as questões relacionadas a doenças que não tem cura é tão importante para a sua saúde, quanto para conscientizar quem você conhece. Ninguém está imune a passar por esses obstáculos, amanhã pode ser você ou alguém bem próximo. E que estejamos juntos para vencer essa batalha!

o que é janeiro branco

Entenda o que é a Campanha Janeiro Branco e seus objetivos

By | blog | No Comments

Hoje viemos falar sobre um assunto que é muito importante, mas que nem todos possuem conhecimento: a Campanha Janeiro Branco. Assim como a Campanha Outubro Rosa, ela tem um grande significado. E você, já ouviu falar? Não? Então continue lendo o texto a seguir:

Saiba mais sobre a Campanha Janeiro Branco

A Campanha Janeiro Branco surgiu em 2013, fruto de uma ideia que psicólogos de Uberlândia (Minas Gerais), tiveram ao se inspirar na Campanha Outubro Rosa. Contudo, a Janeiro Branco tem objetivos diferentes e seu foco está voltado para o bem-estar emocional. Mas por que janeiro? Bom, segundo os médicos, se trata de um mês de renovação, onde as pessoas automaticamente ficam mais reflexivas e fazem uma avaliação da própria vida.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde (OMS), as taxas de suicídio ocorrido mundialmente por sintomas de ansiedade e depressão não param de crescer. Sendo assim, o propósito era fazer com que todos começassem a dar atenção a Saúde Mental, como priorizar o equilíbrio emocional, a qualidade de seus relacionamentos e se questionarem: “eu realmente sou feliz assim?”, sempre procurando maneiras de manter a mente saudável.

Os criadores da causa entendem que se deparar com questões de ordem psicológica-existencial é uma forma de incentivar, conscientizar e precaver não só aqueles que são atingidos diretamente ou indiretamente, mas também as autoridades públicas, ou seja, a sociedade no geral.

Como foi o início do Janeiro Branco?

Ela foi colocada em prática a partir de Janeiro de 2014. As primeiras edições contaram com participação de profissionais e estudantes de psicologia de distintas regiões do Brasil que souberam do evento por meio da internet. O modo de abordar a temática foi diverso. Roda de conversa, dinâmica em grupo, palestras inesperadas em locais populares, entre eles: hospitais, escolas e universidades, restaurantes, pontos de ônibus, shoppings, igrejas, bancos, praças, etc.

Por que promover a Saúde Mental?

Durante os acontecimentos, além de publicar nas redes sociais, os integrantes do Janeiro Branco deram entrevistas aos demais veículos de comunicação, expandindo o tema através de jornais impressos, rádios e canais de televisão. Contribuir, decisivamente, para a construção, o fortalecimento e a disseminação de uma “cultura da Saúde Mental”, favorece, estimula e garante a elaboração efetiva de políticas públicas em benefício dos indivíduos e das instituições.

Portanto, o Janeiro Branco é uma medida preventiva que busca auxiliar a recuperação de pessoas antes que elas adoeçam e pensem em se suicidar. Planejar ações estratégicas e orientar é o ponto principal do Janeiro Branco. Que tal abraçar a causa e ajudar a todos que precisam? Basta compartilhar esse artigo em suas redes sociais.

Alguém próximo a você pode estar precisando de um conselho, uma demonstração de afeto ou até mesmo uma palavra de apoio. Lembre-se que doenças como depressão e ansiedade podem estar presentes em qualquer lugar e tornar qualquer um refém, devastando as pessoas aos poucos e as destruindo por dentro. Infelizmente, muitas vezes nem suspeitamos que aquele amigo ou familiar próximo possa estar passando por isso, a pessoa pode distribuir sorrisos, mas estar interiormente adoecida.

A Belém Saúde tem a preocupação de dizer que se você está passando pelo que foi citado acima, não deixe de procurar ajuda médica. Nenhum problema é grande demais que não possa ser resolvido. Estamos aqui para ajudá-lo e mostrar que a vida vale a pena, desistir de viver nunca deve ser considerado uma opção.

Aproveite e leia também: Medicina do trabalho: por que ela é fundamental para sua empresa?

nova mudança nos exames demissionais

Nova mudança no exame demissional: tudo que você precisa saber

By | blog | No Comments

O exame demissional é um dos mais importantes e realizados dentro da medicina do trabalho. Dessa forma, é importante que tanto os contratantes, quanto os colaboradores, fiquem por dentro das últimas atualizações sobre o assunto, não é mesmo?

A nova mudança ainda não foi tão divulgada nos veículos de comunicação e por essa razão, ainda existe uma série de pessoas que não estão sabendo do ocorrido. Sendo assim, a Belém Saúde fez questão de vir até aqui trazer essas informações para você.

Continue lendo esse artigo e aproveite para saber mais sobre como funciona o exame demissional.

Afinal, qual o propósito do exame demissional e qual o valor?

Segundo o artigo 168 da CLT, a lei determina que seja responsabilidade da empresa que deseja demitir o funcionário solicitar o exame demissional e arcar com os custos. Seu objetivo é avaliar se a pessoa em específico não adquiriu nenhum problema devido às condições de trabalho. É importante destacar também que mesmo que o funcionário peça demissão, os gastos com o exame ainda é responsabilidade do empregador.

O exame demissional é obrigatório para qualquer pessoa que atue em regime CLT, porém, em situações onde a demissão é por justa causa, ele se torna opcional. Realizado pelo profissional especialista na medicina do trabalho, o médico emitirá o ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) detalhado com os dados do paciente, seu estado de saúde e o cargo que ocupa na empresa.

Desse modo, os resultados determinarão se ela está apta para ser desligada do local. Além disso, vale ressaltar que o exame demissional beneficia não só o demitido, mas também a empresa, que ao ter uma cópia do ASO, terá como se defender em complicações futuras, como, por exemplo, processos trabalhistas.

Nova mudança no exame demissional

Antes o exame devia ser feito até a data da homologação da rescisão contratual, desde que a última avaliação ocupacional tenha sido há mais de 135 dias, para empresas que o grau de risco é considerado de 1 a 2, 90 dias e de nível de risco 3 a 4. De acordo com a Portaria MTB N° 1.031 de 06/12/2018, agora o exame demissional pode ser realizado até 10 dias do término do contrato, podendo haver penalidades para quem não cumprir com a lei.

Quais são as penalidades para empresa que não se adequar a lei?

As empresas que não respeitam a lei do exame demissional são multadas e podem ter sérios problemas com ex-funcionários na justiça. Caso essa pessoa tenha adquirido uma doença dentro do ambiente de trabalho que diminuiu sua capacidade de trabalhar parcial ou totalmente, ela deve ser indenizada.

Agora que você já está por dentro da nova mudança do exame demissional, compartilhe essa utilidade pública com os amigos. Aproveite e veja por que a medicina do trabalho é essencial para proteger seu patrimônio Medicina do trabalho: por que ela é fundamental para sua empresa?

 

 

 

 

 

 

CIPA função

O que você sabe sobre CIPA? Conheça a importância da NR5

By | blog | No Comments

Você certamente já se deparou com termo “CIPA”, mas você o que realmente significa essa sigla e qual sua importância para empresas públicas e privadas? Não? Então leia o artigo que a Belém Saúde preparou especialmente para você.

Afinal, o que é CIPA e qual seu objetivo?

A CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) é regulamentada pela norma regulamentadora NR5, aprovada pela Portaria nº 3.214, em 8 de junho de 1978 e mais tarde atualizada pela Portaria SIT n° 247, em 12 de julho de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Essa comissão foi constituída por representantes dos empregados e empregadores com o propósito de garantir a segurança e saúde dos trabalhadores, ou seja, atuar como uma medida preventiva para preservar a vida, evitando doenças e acidentes ocorridos no ambiente de trabalho, assim como diz o item 5.1 da norma regulamentadora nº 05. Contudo, vale ressaltar que para que a CIPA seja eficiente, dependerá da colaboração e comprometimento dos envolvidos.

Toda empresa é obrigada a estar de acordo com a CIPA?

De acordo com o item 5.2, a comissão é obrigatória para todas as empresas: privadas, públicas, órgãos da administração direta e indireta, sociedade de economia mista, instituições beneficentes, associações recreativas, cooperativas, entre outras que admitam trabalhadores através da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Além disso, o item 5.6.4 explica o que deve ser feito caso o local não corresponda às regras estabelecidas.

5.6.4 “Quando o estabelecimento não se enquadrar no Quadro I, a empresa designará um responsável pelo cumprimento dos objetivos desta NR, podendo ser adotados mecanismos de participação dos empregados, através de negociação coletiva”.

Como funciona o treinamento CIPA?

Primeiramente, é importante dizer que o treinamento deve ser feito anualmente pelos representantes titulares e suplentes, podendo haver reeleição. Conforme a NR5, a empresa deve colocar o treinamento em prática antes da posse, ou no caso do primeiro mandato, por exemplo, o prazo máximo é de 30 dias, contados a partir da data de posse. Ainda de acordo com a NR5, o treinamento deve seguir no mínimo os seguintes passos:

  • Estudo do ambiente, das condições de trabalho, bem como dos riscos originados do processo produtivo;
  • Metodologia de investigação e análise de acidentes e doenças do trabalho;
  • Noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes de exposição aos riscos existentes na empresa;
  • Noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – AIDS, e medidas de prevenção;
  • Noções sobre as legislações trabalhistas e previdenciária relativas à segurança e saúde no trabalho;
  • Princípios gerais de higiene do trabalho e de medidas de controle dos riscos;
  • Organização da CIPA e outros assuntos necessários ao exercício das atribuições da Comissão.

Qual a importância da CIPA nas empresas?

Além de complementar com outros programas relacionados à saúde, como o PCMSO e PPRA, a CIPA é responsável por garantir o bem-estar dos envolvidos, uma vez que busca proporcionar um ambiente de trabalho seguro. Sendo assim, não só o colaborador, mas também o empregador será beneficiado, pois ter um funcionário saudável e motivado resulta em maior produtividade para a empresa, reduz o número de acidentes e doenças ocupacionais e consequentemente diminui custos, já que o contratante não terá que arcar com colaboradores afastados ou possíveis processos na justiça.

Agora que você já sabe um pouco mais a respeito da CIPA e sua importância, não deixe de falar com a Belém Saúde quando precisar de um lugar especializado e com excelentes profissionais para realiza-la em sua empresa.

Aproveite e leia também: Medicina do trabalho: por que ela é fundamental para sua empresa?