junho 2019 - Belem Saúde
Monthly Archives

junho 2019

exame hepatites

Julho Amarelo: O mês de luta e prevenção das hepatites virais

By | blog | No Comments

Conforme lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada em 11 de janeiro no Diário Oficial da União, a partir deste ano, a Campanha Julho Amarelo que combate as hepatites virais é intitulada e deve ser realizada anualmente em todo o Brasil.

Saiba mais sobre as hepatites virais

A hepatite viral é uma inflamação silenciosa e que ocorre no fígado, sendo uma das principais causas de câncer e cirrose na região. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, três milhões de brasileiros estão infectados pela hepatite C, porém não sabem se possuem o vírus.

Visto que grande parte não tem conhecimento sobre a existência da doença, o recomendado é que as pessoas frequentem com regularidade o posto mais próximo e faça o exame gratuitamente para buscar tratamento adequado o quanto antes.

Origem e diagnóstico da doença

Como dito acima, as hepatites virais podem ser causadas na maioria das vezes por vírus, mas também por doenças autoimunes, genéticas, metabólicas e até mesmo uso de medicamentos, álcool, entre outras drogas. Embora nem sempre apresente sintomas, os mais comuns são:

  • Febre;
  • Enjoo;
  • Vômitos;
  • Mal-estar;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Urina escura;
  • Fezes claras;
  • Dor abdominal;
  • Pele e olhos amarelados.

Principais tipos de hepatites

As hepatites A, B e C são as mais comuns no Brasil, enquanto a D e E são mais frequentes em países como Ásia e África. Entenda a diferença entre cada uma delas:

  • Hepatite A: relacionada às condições de higiene e saneamento básico, é a que predomina a maior número dos casos e há vacina para combatê-la. Contudo, trata-se de uma infecção leve e que cura sozinha;
  • Hepatite B: depois da hepatite A, é a que mais atinge os brasileiros. A forma ideal para preveni-la é por meio de vacina e uso de preservativo, já que pode ser transmitida por contato sanguíneo e ato sexual;
  • Hepatite C: epidemia cinco vezes maior que a AIDS/HIV e principal causa de transplantes de fígado. Pode ser transmitida pelo contato com sangue e não há vacina. É um estágio avançado que pode se agravar e levar a cirrose, câncer de fígado e até a morte;
  • Hepatite D: ocorre apenas em pacientes infectados pela hepatite B (sendo assim, a vacina contra hepatite B é essencial para se proteger da hepatite D);
  • Hepatite E: transmitida por via digestiva (fecal e oral), não tem o perigo de se tornar crônica, porém as pessoas mais afetadas são mulheres grávidas, que podem apresentar formas mais graves.

Julho amarelo e seu objetivo

Portanto, o julho amarelo tem como propósito incentivar unidades básicas de saúde a intensificar informações relevantes sobre a luta, prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das infecções causadas pelas hepatites virais.

E você, já fez o exame para saber se está tudo em dia? Cuide da sua saúde, cuide de você. Previna a doença e caso seja um portador, não deixe de procurar tratamento.

Aproveite e leia também: Junho vermelho: campanha de incentivo a doação de sangue

 

 

 

 

 

 

 

 

 

seja um doador de sangue

Junho vermelho: campanha de incentivo a doação de sangue

By | blog | No Comments

Campanha promove ações que visam incentivar as pessoas a doarem sangue

Neste mês as temperaturas ficam mais baixas e as infecções respiratórias passam a se manifestar com frequência, deixando as pessoas vulneráveis. Consequentemente, esse período também é marcado por uma queda equivalente a 30% de doadores, tanto para estoques públicos quanto privados.

Saiba mais sobre o Junho Vermelho

Dados levantados pelo Eu Dou Sangue em parceria com Instituto Datafolha mostram que de 2.771 entrevistados em todo o país, 39% dos brasileiros nem mesmo sabem qual é seu tipo sanguíneo. O estudo ainda revela que entre junho de 2016 e junho de 2017, 92% disseram não ter doado sangue.

Além disso, segundo informações da campanha #PartiuDoarSangue, a porcentagem de pessoas dispostas a doar sangue está muito abaixo do ideal, correspondendo a 1,8%, enquanto o desejado é 5%. Países da Europa, por exemplo, estão à frente do Brasil com cerca de 7%.

Sendo assim, a Campanha Julho Vermelho surge como uma iniciativa para conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue, principalmente nessa época do ano, quando o clima mais frio, chuvoso e a entrada de recesso desfavorecem os hemocentros.

Contudo, o intuito do Julho Vermelho é atrair doadores durante todo o ano, visto que o maior número de doações acontece apenas em datas comemorativas.

Dia Mundial do Doador de Sangue

Com a mesma proposta de mudar este cenário, no dia 14 de junho é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue. Criada em 2014 pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A data foi escolhida para homenagear o nascimento do imunologista austríaco Karl Landsteiner (1868-1943) que foi o responsável por descobrir o fator Rh e os diferentes tipos sanguíneos.

Quem está apto a doar sangue?

Conforme os órgãos que regem esse controle – OMS (Organização Mundial da Saúde) e Associação Americana de Bancos de Sangue, existem normas nacionais e internacionais que devem ser respeitadas na triagem para que o sangue doado não contamine quem está recebendo a doação. Entre as principais, estão:

  • Ter entre 16 e 69 anos;
  • Acima de 60 anos só pode doar se já tiver doado anteriormente;
  • Ter peso superior a 50 quilos;
  • Estar bem alimentado e descansado (evitar alimentos gordurosos e dormir no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas);
  • No caso de mulheres grávidas, aguardar 180 dias após o parto;
  • Não ter Doença de Chagas, Sífilis, Hepatite B, Hepatite C, AIDS (HIV), HTLV;
  • Mulheres precisam esperar 90 dias para fazer uma nova doação, enquanto os homens devem aguardar 60 dias;
  • Não pode estar anêmico ou com hipertensão e hipotensão arterial no teste feito antes da doação;
  • Não pode estar com febre no dia da doação;
  • Nunca ter usado drogas ilícitas injetáveis;
  • Quem esteve em locais com alto índice de malária deve aguardar 12 meses;
  • Quem esteve em região com surto de febre amarela deve aguardar 30 dias (se tomou a vacina, esperar 4 semanas e se contraiu a doença 6 meses após a recuperação total);
  • Evitar consumo alcoólico pelo menos 12 horas antes;
  • Se fizer tatuagem, deve respeitar o prazo de 1 ano para poder doar.

Quero ser um doador. Qual o primeiro passo?

Primeiramente você deve verificar se está nas condições adequadas para ser um doador. Feito isso, basta se apresentar ao local de coleta e realizar um cadastro com apresentação de documento original e com foto. Depois você passará pela pré-triagem para verificação dos sinais vitais e em seguida, a triagem clínica, onde é feita uma entrevista individual e sigilosa, análise de antecedentes e o estado atual de saúde do avaliado.

Esse processo serve para garantir a segurança tanto do doador, como do receptor. Após esse passo-a-passo, é coletado aproximadamente 450 ml de sangue e amostras para realização dos testes de laboratório. Ao fim da coleta, o doador receberá um lanche.

O que fazer na pós-doação?

  • É indicado que a pessoa permaneça no local por pelo menos 15 minutos e se hidrate bem durante o dia;
  • Não ingerir bebida alcoólica por 24 horas;
  • Não fumar nas primeiras 2 horas;
  • Evitar exercícios pesados;
  • Manter o curativo por, no mínimo, 4 horas.

Está esperando o que para se tornar um doador? Contribua com a Campanha Junho Vermelho. Doe sangue, ajude a salvar vidas.

Aproveite e leia também Maio Amarelo: atenção pela vida