Monthly Archives

setembro 2018

Qualidade de vida para empresas: saiba como manter o ambiente de trabalho saudável

By | blog | No Comments

Qualidade de vida para empresas: saiba como manter o ambiente de trabalho saudável

Conheça mais sobre a importância de investir em qualidade de vida para empresas

Empresas do mundo todo, de todos os portes e segmentos, enfim entraram em um consenso: investir em programas de qualidade de vida para empresas é primordial para o sucesso profissional.

Mas qual a relação entre qualidade de vida para empresas e sucesso profissional?

Existe uma relação intrínseca entre qualidade de vida no trabalho e o sucesso no ramo empresarial.

Vários fatores comprovam que um negócio com uma gestão voltada ao bem-estar dos colaboradores tende a crescer mais. Dentre os principais, destacam-se a produtividade e a saúde.

1) Produtividade e a qualidade de vida para empresas

A produtividade no trabalho está correlacionada com a qualidade de vida nas empresas.

Qualidade de vida para empresas: Saiba como manter o ambiente de trabalho saudável

Um negócio que possui um ambiente agradável, saudável e menos “tóxico” oferece condições para que os colaboradores possam render mais e melhor.

Afinal, os brasileiros trabalham, em média, 8 horas por dia, de forma a cumprir uma carga horária de 44 horas semanais.

Partindo do princípio que os colaboradores passam a maior parte do tempo no trabalho, em detrimento do lazer, da diversão, torna-se natural valorizar o tempo de trabalho, investindo em qualidade de vida.

Isto é, a ideia é tornar o período de prestação de serviço em algo com menor desgaste físico e mental, transformando a jornada de trabalho menos laboral e mais passional.

Grosso modo, empresas com qualidade de vida de vida montam equipes com altos índices de produtividade. Isso acontece porque os colaboradores não mais enxergam o trabalho como um vilão; mas, sim, como uma oportunidade de crescer profissionalmente, de socializar e de estimular suas habilidades.

Não há mais, portanto, uma associação orgânica entre trabalho e algo ruim.

Com isso, naturalmente a equipe tende a render mais e em melhor qualidade.

Não confunda horas trabalhadas com desempenho

Um erro entre muitos empregadores é pensar que os colaboradores devem trabalhar mais e mais. Saiba que isso é uma metodologia arcaica e ultrapassada, já que os funcionários estão longe de ser peças e ferramentas para ganhos próprios.

Empresas com esse pensamento criam equipes com baixo desempenho, não à toa precisam trabalhar mais horas para que haja algum retorno.

Saiba que muitas horas de trabalho não significam desempenho. Muito pelo contrário.

A equipe de colaboradores tende a se estressar mais, criando praticamente um ambiente de trabalho insalubre.

Com isso, consequentemente a equipe vê os empregadores como vilões, não parceiros.

Não demora muito para que os funcionários comecem a render menos, fazer corpo mole, apresentar atestados médicos para justificar faltas e outras atitudes recorrentes em um ambiente desmotivado.

Justamente por motivos como esses, torna-se necessário ter uma visão aberta à qualidade de vida no trabalho.

Por que, em sua opinião, empresas como Google e Facebook, duas das maiores marcas do mundo, apostam em qualidade de vida?

Isso acontece, principalmente, para motivar as pessoas a quererem  trabalhar em um ambiente mais leve. Os colaboradores sentem-se privilegiados por estarem em empresas como essas.

Qualidade de vida para empresas: saiba como manter o ambiente de trabalho saudável

Escritório do Google é sinônimo de qualidade de vida no trabalho

Qualidade de vida para empresas: saiba como manter o ambiente de trabalho saudável

O clima leve e descontraído em escritórios torna o trabalho menos estressante, aumentando a produtividade dos colaboradores de modo natural

PS: Não confunda ambiente mais leve com ambiente sem metas. Muito pelo contrário. Ter um local de trabalho com clima agradável e com qualidade de vida, além de auxiliar na produtividade, torna a cobrança por um trabalho qualificado menos necessária por parte do empregador e mais espontânea por parte do próprio colaborador.

Portanto, investir em qualidade de vida nas empresas naturalmente fará a equipe render mais e melhor. Afinal, a sensação é de que o colaborador está um ambiente em que seu trabalho é valorizado – e de fato está sendo valorizado.

2) Saúde e a qualidade de vida nas empresas

A saúde dos colaboradores no ambiente de trabalho está intimamente ligada à qualidade de vida. Sem uma, não existe a outra.

Uma equipe trabalhando em condições laborais ruins acaba refletindo no dia a dia , tornando mais difícil a execução das atividades pertinentes a cada cargo e função. Logo, há menos produtividade por parte da equipe.

Então, torna-se primordial que a saúde dos colaboradores no ambiente de trabalho seja respeitada pelos empregadores, sobretudo porque está prevista em leis, através das Normas Regulamentadoras.

  • Mas como posso melhorar a qualidade de vida no trabalho?

Existem maneiras eficientes de manter o ambiente de trabalho voltado ao bem-estar e saúde dos colaboradores, de modo melhorar a produtividade da equipe, mas as seguir as Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho é a melhor opção para as empresas.

Normas Regulamentadoras = Qualidade de vida nas empresas

Para quem não sabe, as Normas Regulamentadoras (NR’s) são um conjunto de regras, adequações e parâmetros que as empresas DEVEM seguir, de modo a tornar o ambiente de trabalho mais seguro e saudável.

Qualidade de vida para empresas: saiba como manter o ambiente de trabalho saudável

Existem, ao todo, 35 Normas Regulamentadoras em vigência. Contudo, as empresas só devem seguir aquelas que se adéquam à respectiva área de atuação.

O grande benefício ao seguir as Normas Regulamentadoras é manter as empresas de acordo com a lei.

E não para por aí, além da questão jurídica, as Normas Regulamentadoras são aliadas das empresas na busca pela qualidade de vida no trabalho e manutenção da saúde e bem-estar dos colaboradores.

Por se tratar de regras que visam normatizar e padronizar requisitos mínimos de segurança e saúde nas empresas, naturalmente o resultado será um ambiente de trabalho mais agradável e, claro, seguro.

Como seguir as Normas Regulamentadoras?

A melhor forma de seguir à risca as Normas Regulamentadora é com o auxílio de uma empresa especializada em medicina e segurança do trabalho.

Por se tratar de regras e normas minuciosas, detalhistas e importantes, as empresas precisam do suporte profissional para que não haja dores de cabeça no futuro, como multas por falta de adequação às NR’s e processos trabalhistas devido a acidentes de trabalho.

Invista em qualidade de vida para empresas

Agora que conhece a importância de investir em qualidade de vida para empresas, você sabe o quão vital é para as empresas investir em alternativas que buscam cuidar da saúde e bem-estar dos colaboradores através das Normas Regulamentadoras.

Perfil Profissiográfico Previdenciário, para que serve?

eSocial: entenda mais sobre a nova obrigatoriedade para as empresas

O que é eSocial?

By | blog | No Comments

eSocial

Através deste artigo, saiba o que é eSocial e descubra como ele pode mudar a rotina das empresas

É importante para todas as empresas estarem de acordo com as normas e leis regulamentadoras, a fim de evitar problemas e dores de cabeça. Dentre tantas obrigatoriedades existentes para os empregadores, surge, agora, o eSocial.

Para quem não está familiarizado com o termo, o eSocial é um decreto instituído pelo Governo, cujo objetivo é criar um sistema integrado, com informações e registros relacionados aos trabalhadores.

Por ser ainda recente, o eSocial ainda causa certa dúvidas entre os empregadores. Pensando nisso, listamos tudo o que as empresas precisam saber sobre o eSocial.

eSocial: entenda mais sobre a nova obrigatoriedade para as empresas

 

Mais sobre o eSocial

O decreto n° 8373/2014 institui o eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciária e Trabalhistas).

A ideia do eSocial é fazer com que os empregadores comuniquem-se de forma mais direta com o Governo. Deve-se descrever, de forma integrada, informações referentes aos trabalhadores. Por exemplo: vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, acidentes de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e dados sobre o FGTS.

O grande diferencial dessa nova ferramenta é que tudo é feito de forma digital. Isto é, à distância.

A transmissão dos dados dos colaboradores feita de forma digital melhora a comunicação entre empregador e governo. O intuito é diminuir a burocracia, a fim de agilizar a troca de informações.

O envio de informações ao eSocial tem como foco substituir o preenchimento e a entrega de formulários. Além disso, reduz custos, processos e tempo gasto pelas empresas.

O eSocial é obrigatório?

eSocial

O eSocial é, sim, obrigatório para TODAS as empresas. Independentemente do porte ou segmento,  essa nova ferramenta deverá fazer parte da rotina de todos os empregadores.

Contudo, a obrigatoriedade imediata do eSocial está restrita somente às empresas que possuam faturamento anual de R$ 78 milhões.  A partir de Julho de 2018, o eSocial será obrigatório para quaisquer empresas, sem restrições.

As empresas que não se adequarem ao eSocial assim que estiver em vigor deverão lidar com as mesmas penalidades a que estão sujeitas atualmente pelo não cumprimento de suas obrigações.

Contudo, os empregadores devem saber que ficará inviável a quitação das obrigações trabalhistas, caso as empresas não estiverem de acordo com eSocial.

Benefícios que o eSocial oferece

O grande benefício que o eSocial oferece às empresas é as desburocratização de todo o processo de prestação das informações fiscais, trabalhistas e previdenciárias ao Governo.

Uma das principais vantagens que o eSocial oferece é a facilidade com que a troca de informações é feita, sempre de forma ágil e eficaz, sem imprevistos ou burocracias. Isso simplifica processos, gerando uma melhora considerável na produtividade das empresas.

Além disso, o eSocial vem com a premissa de subsidiar  a geração de guias  de recolhimento do FGTS e outros tributos, o que diminui erros nos cálculos que, infelizmente, ainda são recorrentes no desenvolvimento desses documentos.

Portanto, de forma básica, o eSocial é um novo sistema  de prestação de informação ao Governo. Ou seja, fique tranquilo, o eSocial não é uma nova carga tributária; mas, sim, uma ferramenta que facilitará o dia a dia burocrático das empresas.

eSocial e as empresas

O objetivo do eSocial para empresas é digitalizar informações que hoje ainda são registradas por métodos, digamos, ultrapassados.

Além disso, ele tende a facilitar a organização de informações por parte das empresas. Isso se deve ao fato de que todas as informações serão armazenadas em um ambiente público, sem custos e seguro.

Atualmente, todos os dados dos trabalhadores devem ser guardados por longos períodos, chegando até 30 anos. Quando falamos, entretanto, de armazenamento no ambiente virtual através do eSocial, a ideia é que tudo fica mais fácil e ágil.

Sistemas de informação substituídos pelo eSocial

De acordo com dados fornecidos pelo portal do Governo, por meio do eSocial , os empregadores passarão a comunicar ao Governo, de forma unificada, 15 obrigações:

  • GFIP – Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social
  • CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados para controlar as admissões e demissões de empregados sob o regime da CLT
  • RAIS – Relação Anual de Informações Sociais.
  • LRE –  Livro de Registro de Empregados
  • CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho
  • CD –  Comunicação de Dispensa
  • CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social
  • PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário
  • DIRF – Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte
  • DCTF – Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais
  • QHT – Quadro de Horário de Trabalho
  • MANAD – Manual Normativo de Arquivos Digitais
  • Folha de pagamento
  • GRF – Guia de Recolhimento do FGTS
  • GPS – Guia da Previdência Social

O eSocial e a Medicina do trabalho

Todas as empresas devem seguir Normas Regulamentadoras (NR’s) impostas pelo Ministério do Trabalho. Justamente por isso, torna-se importante entender de que forma o eSocial irá interferir nas NR’s.

A ideia do eSocial é criar uma gestão ativa e eficiente quanto as Normas Regulamentadoras.  Isto é, a ideia é que o registro de informações referentes às NR’s seja feita de forma mais rápida que antes.

De modo geral, o intuito é fazer com que a prestação de informações relacionadas às NR’s, que antes eram exigidas mensal e anualmente, seja postada à medida que haja necessidade de atualização.

Por exemplo, caso um funcionário seja afastado devido um acidente de trabalho, as empresa terão até um dia útil seguinte ao acidente para atualização no eSocial.

Nesse caso, a melhor forma para evitar problemas entre o eSocial e a medicina do trabalho é buscando o auxílio de uma empresa voltada à medicina do trabalho.

Ela é quem dará todo o suporte quanto ao eSocial e criará, juntos com as empresas, estratégias que visam a adequação às próprias Normas Regulamentadoras.

Não perca tempo, comece a utilizar o eSocial

O quanto antes as empresas se adequarem à essa nova ferramenta, mais rápido ficará a adaptação a esse novo sistema. Afinal, demanda tempo se acostumar a um sistema completamente novo. Por isso, o quanto antes colocá-lo em prática, melhor.

Aproveite e leia, também, nosso artigo sobre o LTCAT.

eSocial: entenda mais sobre a nova obrigatoriedade para as empresas

NR-17: conheça mais sobre a ergonomia

By | blog | No Comments

NR-17: conheça mais sobre a ergonomia

Através deste artigo, saiba mais sobre a ergonomia; conheça os benefícios e importância da NR-17

Quando falamos na Norma Regulamentadora 17 (NR-17), estamos tratando de ergonomia.

Para quem não está familiarizado com o termo, a ergonomia tem como foco cuidar da saúde e também do bem-estar dos colaboradores dentro do ambiente de trabalho.

O objetivo da NR-17 é adaptar o local de trabalho às condições físicas e psicológicas de cada colaborador, coletiva e individualmente.

Quem regulamenta a NR-17? 

O Ministério do Trabalho e Emprego é quem regulamenta a Norma Regulamentadora 17, através da Portaria Nº 3.214, de 08 de Junho de 1978.

Portanto, saiba que, naturalmente, estamos falando de uma obrigatoriedade. Logo, toda e qualquer empresa DEVE estar ciente de suas obrigações quanto à ergonomia.

Objetivo da NR-17

A Norma Regulamentadora 17 tem como objetivo garantir que os colaboradores tenham uma condição confortável e segura dentro do ambiente de trabalho.

N-17: conheça mais sobre a ergonomia

Por exemplo: suponhamos que Ana trabalhe em um escritório. De acordo com a NR-17, é obrigação da empresa em que trabalha assegurar boas condições para exercer suas funções.

Ou seja, é responsabilidade da empresa garantir uma cadeira confortável, que se ajuste à mesa onde Ana trabalha, de modo a evitar doenças ocupacionais (doenças oriundas do ambiente de trabalho), como dores nas costas.

De acordo com a NR-17, a empresa onde Ana trabalha deve garantir um posto de trabalho que se adapte às exigências previstas na lei, como:

17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para esta posição.

17.3.2. Para trabalho manual sentado ou que tenha de ser feito em pé, as bancadas, mesas, escrivaninhas e os painéis devem proporcionar ao trabalhador condições de boa postura, visualização e operação e devem atender aos seguintes requisitos mínimos:

  1. a) ter altura e características da superfície de trabalho compatíveis com o tipo de atividade, com a distância requerida dos olhos ao campo de trabalho e com a altura do assento;
  2. b) ter área de trabalho de fácil alcance e visualização pelo trabalhador;
  3. c) ter características dimensionais que possibilitem posicionamento e movimentação adequados dos segmentos corporais.

Quanto aos assentos, a empresa deve garantir:

17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes requisitos mínimos de conforto:

  1. a) altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida;
  2. b) características de pouca ou nenhuma conformação na base do assento;
  3. c) borda frontal arredondada;
  4. d) encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar.

Esses são algumas obrigatoriedades previstas na NR-17, que se encaixam perfeitamente na função exercida pela Ana no exemplo acima.

Importante: existem exigências específicas para cada função, como levantamento, transporte e descarga individual de materiais; para quem trabalha em pé etc.

Benefícios ao investir em ergonomia

Investir em ergonomia gera inúmeros benefícios às empresas, como a melhora no rendimento da equipe.

Empresas com colaboradores motivados, com qualidade de vida e bem-estar tendem a ser mais bem-sucedidas.

Uma equipe que trabalha em uma empresa que respeita as condições ideais de trabalho tem mais motivação. Com isso, há uma melhora na produção, refletindo também nos resultados.

Além dessa questão relacionada ao aumento na produção, se adequar à NR 17 evita que as empresas sofram penalidades na esfera jurídica.

Imagine uma empresa ter que arcar com um processo de um funcionário que alega dores oriundas do ambiente de trabalho, sobretudo por omissão à NR-17? Seria desastroso, não é mesmo?

Por isso, torna-se tão importante investir em métodos que visam a adequação à Norma Regulamentadora 17.

N-17: conheça mais sobre a ergonomia

As empresas devem sempre buscar ajustar os postos de trabalho a cada colaborador, coletiva e individualmente

Como investir em ergonomia?

A melhor maneira para investir em ergonomia e se adequar à NR-17 é com o auxílio de uma empresa especializada em Medicina e Engenharia do trabalho.

Somente o suporte de profissionais conseguirá realizar um trabalho acurado e eficiente, de modo a ajustar o local de trabalho às condições físicas e psicológicas de cada colaborador, como determina o Ministério do Trabalho e Emprego.

Treinamento de ergonomia

Uma excelente forma para se ajustar à NR-17 é realizando treinamento e orientação adequada.

Através do treinamento e da orientação, que são feitos por uma empresa especializada, identifica-se e também se corrige todas as inconformidades no ambiente de trabalho.

Parte dessa orientação e adequação tem relação com:

  • Iluminação do ambiente;
  • Postura;
  • Temperaturas;
  • Mobiliários de cada posto de trabalho;
  • Vídeos.

Ou seja, todo o serviço de treinamento de ergonomia e a adequação à NR-17 têm relação com a saúde e bem-estar dos colaboradores, com o objetivo de tornar o ambiente de trabalho mais saudável e confortável.

Invista em Ergonomia e adeque-se à NR-17

Comece a investir em ergonomia no trabalho e tenha a certeza de que os problemas relacionados à ergonomia diminuirão.

Lembre-se sempre que investir em ergonomia, além de obrigatório, gera muitos benefícios, como os citados ao longo deste artigo.

Perfil Profissiográfico Previdenciário, para que serve?